Nissan lança Frontier Platinum

Nissan lança Frontier Platinum

frontier
Picape chega com câmbio automático e motor diesel de 190 cavalos.
A Nissan lançou nesta semana a série exclusiva Platinum da picape Frontier. Com produção limitada a mil unidades, a novidade destaca-se por oferecer um diversificado pacote de itens de série entre as picapes equipadas com câmbio automático, motor diesel e tração 4×4. Fabricada em São José dos Pinhais (PR), o modelo tem preço de R$ 120.890,00.
Externamente, a Frontier Platinum traz acabamento com detalhes cromados na grade, nos retrovisores externos e nos faróis de neblina. Os pneus todo terreno, que calçam rodas de liga aro 16 de seis raios, possuem escrita em branco e os faróis e as lanternas têm máscara negra. A série especial está posicionada entre as versões SV Attack 4X4 manual e a topo de linha SL, que até agora era a única opção com câmbio automático da linha da fabricante japonesa. Ela está disponível em três cores: branco (sólida), preto e prata (metálicas).
“Com a Frontier Platinum, a Nissan reforça a presença no importante segmento de picapes diesel com tração 4×4 e câmbio automático. Queremos aumentar nossa participação de mercado nessa faixa oferecendo um produto muito atraente em relação às versões intermediárias dos concorrentes. Será a nossa opção mais acessível com esse tipo de transmissão”, explica Tiago Castro, gerente de Produto da fabricante.
A picape possui equipamentos como os sistemas de controle de estabilidade (VDC – Vehicle Dynamic Control) e de tração (TCS – Traction Control System); ar-condicionado digital automático de duas zonas; câmera de ré integrada ao display do rádio de 5 polegadas; chave presencial I-key, que permite a abertura das portas com um simples toque na maçaneta. Além deles, a Frontier Platinum vem com câmbio automático de cinco velocidades com sobremarcha (overdrive), que trabalha casado ao motor turbodiesel de 2.5 16V de 190 cavalos; direção hidráulica com ajuste de altura do volante; travas elétricas nas quatro portas; freios ABS com Distribuição Eletrônica de Frenagem (EBD) de última geração; airbag duplo; cintos de segurança dianteiros com prétensionadores e volante com comandos de áudio e piloto automático.
Comandado por corrente, que aumenta a durabilidade, o motor da Frontier Platinum é o 2.5 16V turbodiesel de terceira geração (YDK3), que traz o que a Nissan oferece de melhor no mundo em tecnologia. Trata-se do mesmo bloco vendido no mercado europeu, um dos mais exigentes nas leis antipoluição e referência em propulsores diesel. O propulsor desenvolve 190 cavalos de potência a 3.600 rpm e torque de 45,8 kgfm a 2.000 rpm.
Para as melhores dirigibilidade e agilidade no segmento, a Frontier conta com o sistema Shift-on-the-Fly, que permite o acionamento da tração nas quatro rodas por meio de um botão no painel, mesmo com o carro em movimento (até 80 km/h). Esse acionamento eletrônico está disponível em três modos: 4×2, 4×4 e 4×4 com reduzida, sendo o último o mais indicado para superar terrenos excessivamente irregulares, arenosos ou lamacentos.
Para o off-road, o ângulo de ataque é de 32º, enquanto o de saída é de 24º. A capacidade máxima de subida de rampa é de 39º e a altura livre do solo é de 220 mm, oferecendo uma condução segura e sem sustos nos pisos irregulares e não pavimentados. Os pneus todo terreno não alteram o conforto para os passageiros nem aumentam os ruídos, mas ampliam a capacidade do uso fora de estrada da Frontier.
Para o transporte de cargas, o utilitário oferece 454 mm de altura na caçamba, solução que aumenta a capacidade para transportar objetos – o comprimento é de 1.513 mm e a largura, 1.494 mm. Com essas dimensões, a Frontier tem capacidade de carga para até 1.030 quilos.
A suspensão foi desenvolvida pela engenharia da Nissan do Brasil para ser resistente em terrenos fora de estrada e, ao mesmo tempo, confortável. O conjunto dianteiro é independente, com braços triangulares duplos, mola helicoidal e barra estabilizadora. O traseiro possui eixo rígido com feixes de mola.
 
Sinotruk entregará projeto de fábrica à União
Sinotruk
Fabricante chinesa finaliza projeto da unidade fabril que será construída na cidade de Lages (SC).
A futura subsidiária brasileira da fabricante de caminhões chinesa CNHTC (China National Heavy Duty Truck Group Corporation), nomeada SBTC (Sinotruk Brasil Truck Corporation) Indústria de Veículos S.A, comunicou oficialmente ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) a conclusão do projeto da fábrica, que será construída na cidade de Lages, em Santa Catarina, às margens da BR-282, na área industrial do Distrito de Índios, denominada PISC (Parque de Inovação da Serra Catarinense).
Com área total de 270 hectares, o PISC foi criado através de uma parceria entre o Governo do Estado de Santa Catarina e a Prefeitura Municipal para atrair empresas do segmento automotivo e de novas tecnologias. A Sinotruk será a primeira a se instalar nesse local.
“A área da unidade fabril, com extensão total de 1 milhão de metros quadrados, está demarcada e a terraplenagem do terreno deverá ter início nos próximos 60 dias”, conta Marcel Wolfart, gerente geral da Elecsonic, importadora dos caminhões da marca CNHTC, conhecida no mercado nacional como Sinotruk Brasil. A partir disso, a SBTC ingressará, ainda nos próximos dias, com o requerimento de habilitação ao Inovar-Auto junto ao MDIC, na modalidade Projeto de Investimento. Desde agosto de 2013, a Elecsonic já estava habilitada como importador no Novo Regime Automotivo criado pelo Governo Federal para promover a competitividade da indústria automotiva nacional.
De acordo com Wolfart, os investimentos diretos previstos para a primeira etapa do projeto – que já tinham sido anunciados em 2012 – serão de R$ 300 milhões, podendo chegar a R$ 1 bilhão em médio prazo.
Em uma primeira etapa, a unidade brasileira da CNHTC trabalhará no processo de montagem CKD (Completely Knock-Down), porém, o objetivo é nacionalizar em até 65% a produção de peças e componentes até o final de 2017. De acordo com Marcel Wolfart, a previsão é que a fábrica comece a funcionar até setembro de 2015, com a produção das primeiras unidades em teste, para entrar em operação plena no primeiro trimestre de 2016. A Sinotruk Brasil Truck Corporation será a primeira fábrica da CNHTC fora da China.
Até que o projeto da fábrica seja concluído, os cavalos-mecânicos da família A7 (4×2, 6×2 e 6×4) continuarão a ser importados da China, bem como as peças e componentes das famílias de caminhões A7 e Howo. A Cotia Trading, tradicional empresa do ramo de importação e exportação, será forte parceira da Sinotruk Brasil nesse processo. “A Cotia será responsável por toda a operação de importação de peças para abastecer o nosso Centro de Distribuição de Peças e garantir a reposição de componentes em toda a nossa rede de concessionárias”, explica Marcel Wolfart.
Os cavalos-mecânicos da linha A7 continuarão a ser importados pela Elecsonic até o fim do primeiro semestre deste ano. Após essa etapa, a SBTC assumirá as importações de veículos até a inauguração da fábrica.

Mauro Cassane/MM Editorial

Sem Comentários

Insira um Comentário