Caminhões VM já podem sair de fábrica com transmissão automatizada

Caminhões VM já podem sair de fábrica com transmissão automatizada

Estratégia da empresa é atender o segmento de semipesados com opção tecnológica que reduz o consumo de combustível.
A Volvo já está comercializando a linha de caminhões VM com a caixa de câmbio eletrônica I-Shift. A transmissão oferece menor consumo de combustível, mais conforto e segurança e menor custo operacional. Após o lançamento na semana passada do Mercedes-Benz Atego automatizado, agora a Volvo também se volta a este segmento com um importante diferencial: um cavalo mecânico 4×2, muito aplicado em transporte de cargas com volume em médias e longas distâncias rodoviárias.

01)Transmissão I-Shift agora está disponível no pesado FH e no semipesado VM.

01) Transmissão I-Shift agora está disponível no pesado FH e no semipesado VM.


A caixa de câmbio que está sendo introduzida nos caminhões VM é a mesma que equipa o FH, o caminhão extra-pesado da Volvo, um dos líderes de vendas no Brasil em seu segmento. A I-Shift está presente em mais de 90% dos caminhões FH que saem da linha de produção. “É uma transmissão que experimentou um sucesso espetacular em poucos anos”, destaca Álvaro Menoncin, gerente de engenharia de vendas da Volvo.
 
02)Interior do VM.

02) Interior do VM.


“Decidimos equipar a linha VM com a caixa I-Shift porque os benefícios para a operação de transporte são enormes. O transportador, que já tinha aprovado a linha VM, agora tem ainda mais razões para escolher o caminhão”, observa Francisco Mendonça, gerente de caminhões VM do Grupo Volvo América Latina. A Volvo mira em um mercado que vende 5.000 unidades por ano – e o último desempenho da empresa, em 2013, foi de 750 unidades comercializadas, ou seja, 15% de market share.
 
03)Versão 6x4, disponível com motores de 270 e 330 cavalos de potência.

03) Versão 6×4, disponível com motores de 270 e 330 cavalos de potência.


“A I-Shift do VM é de última geração, aplicável para praticamente todas as operações, seja em veículos de distribuição urbana, rodoviários ou fora de estrada”, ressalta Marco Mildenberg, engenheiro de planejamento de produto da Volvo. Com uma carcaça em alumínio que proporciona baixo peso e alta robustez, a caixa tem um gerenciamento de trocas de marchas controlado por um software específico para a linha VM.
 
04)Implemento baú é um dos mais comumente instalados em semipesados.

04) Implemento baú é um dos mais comumente instalados em semipesados.


A transmissão I-Shift está disponível para os seguintes modelos: VM 330cv 4×2 cavalo mecânico; VM 270cv 4×2, 6×2 e 8×2 rígidos; VM 330cv 4×2, 6×2 e 8×2 rígidos; VM 270cv 6×4 e 8×4 rígidos; e VM 330cv 6×4 e 8×4 rígidos.
05)Até o momento, Volvo é a única fabricante a oferecer um cavalo mecânico semipesado automatizado.

05) Até o momento, Volvo é a única fabricante a oferecer um cavalo mecânico semipesado automatizado.


 
06)Semipesado VM automatizado em aplicação rodoviária, tracionando implemento sider.

06) Semipesado VM automatizado em aplicação rodoviária, tracionando implemento sider.


 
07)Versão 6x4 para a área de construção.

07) Versão 6×4 para a área de construção.


 
Daimler Trucks chega a 10.000 caminhões vendidos na Índia
No primeiro trimestre de 2014 houve um aumento de 67% nas vendas de modelos BharatBenz.
mc8
A Daimler India Commercial Vehicles (DICV), subsidiária da Daimler AG, ultrapassou o marco de 10.000 caminhões BharatBenz vendidos na Índia desde sua chegada ao mercado em setembro de 2012. Com 2.200 caminhões vendidos no primeiro trimestre de 2014, a marca mais jovem do portfólio da Daimler Trucks obteve crescimento de 67% em relação ao mesmo período de 2013. O êxito de vendas da BharatBenz é ainda mais notável quando se considera o desenvolvimento do mercado indiano de veículos acima de 6 toneladas de PBT, que diminuiu cerca de 20% nos primeiros três meses deste ano.
Em setembro de 2012, a DICV deu início a uma ofensiva de produtos com o lançamento dos primeiros modelos de caminhões pesados. Nos meses seguintes, o portfólio cresceu com várias versões de caminhões médios. Juntamente com os modelos apresentados em janeiro de 2014 – três cavalos-mecânicos e um basculante para construção civil e mineração – a BharatBenz oferece, agora, veículos que vão de 9 a 49 toneladas de PBT. No segmento acima de 9 toneladas, ela responde por uma participação de 5,3% no mercado indiano de veículos comerciais.
Desde maio de 2013, a DICV acrescentou os caminhões FUSO à linha de produção à planta de Chennai, na Índia. Eles são projetados para os mercados emergentes asiáticos e africanos, com a Tanzânia sendo o mais recente destes destinos.
 

Mauro Cassane/MM Editorial

Sem Comentários

Insira um Comentário