NGK comemora 55 anos no Brasil e expõe seus produtos na Autopar 2014

NGK comemora 55 anos no Brasil e expõe seus produtos na Autopar 2014

sensor_ntk
A NGK, completa 55 anos de atuação no mercado brasileiro em 2014. Para comemorar, a empresa participa da 7ª edição da Autopar, feira de fornecedores da indústria automotiva, que acontece de 4 a 7 de junho, no Pavilhão Expotrade, localizado em Pinhais, região metropolitana de Curitiba (PR). Além de expor todo o portfólio, a NGK apresenta novas aplicações em sua linha de sensores de oxigênio, a mais completa gama de sondas com conector disponível para o mercado de reposição. Conhecidos também como sonda lambda, são comercializados pela NTK, marca de sensores da NGK do Brasil.
A função da sonda lambda é detectar os níveis de oxigênio nos gases de escape do motor, e atuar como responsável pela análise da condição da queima de combustível do veículo, informando a qualidade da mistura ar/combustível à unidade de controle do veículo (ECU). O sensor compara a concentração de oxigênio nos gases do motor com o ar ambiente e possibilita o ajuste da quantidade de combustível injetado na câmara de combustão, papel fundamental no controle de emissões de poluentes, além de contribuir para a redução do consumo de combustível.
O dispositivo passou a ser instalado também no sistema de exaustão, e tem como função analisar se a primeira sonda e o catalisador estão atingindo os resultados esperados na correção da mistura. A medida foi adotada após decisão do Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente), que determinou a obrigatoriedade de utilização de uma segunda sonda lambda em veículos leves movidos a gasolina, etanol ou GNV, a partir de 2011.  A aplicação dessas sondas e a manutenção das mesmas são primordiais para que o consumidor não tenha surpresas durante a inspeção veicular.
A NGK produz a mais completa linha de sensores de oxigênio montados do País, tanto para o aftermarket quanto para o mercado original. “Durante a Autopar, vamos comemorar os 55 anos de instalação no Brasil. Ao mesmo tempo, ampliamos nossa liderança e, também, a quantidade de aplicações de sensores com conector. Podemos destacar as novas aplicações para os modelos de grande demanda como os motores Sigma da linha Ford, a linha Toyota Etios, além que uma larga gama de aplicações nas montadoras Francesas Peugeot e Citroën entre outras aplicações”, destaca Marcos Mosso, chefe de Marketing da NGK do Brasil.
SondeLamdaNGK
Ao lado dos sensores de oxigênio, a NGK expõe todo seu portfólio na Autopar, que contempla velas de ignição, cujo mercado a empresa lidera mundialmente, e ampla linha de cabos, que completam os sistemas de ignição.
A vela tem a função de conduzir corrente elétrica sob alta tensão para o interior da câmara de combustão, realizando a conversão em faísca para inflamar a mistura ar/combustível, além de permitir a dissipação do calor gerado na combustão. Uma vela desgastada irá comprometer o desempenho, o consumo de combustível e, consequentemente, a emissão de poluentes. Também pode afetar vários componentes, como cabos de ignição, rotor, distribuidor e bobina/transformador. Em casos mais graves, podem ser verificados problemas no catalisador.
A função dos cabos de ignição é conduzir a alta tensão produzida pela bobina até as velas, sem permitir fuga de corrente. Recomenda-se que a substituição dos cabos seja realizada a cada 60 mil quilômetros ou a cada três anos. Para veículos que utilizam GNV (Gás Natural Veicular), as revisões devem ser feitas a cada 30 mil quilômetros. Os principais sintomas de cabos com desgaste excessivo são perda de potência, falha do motor e aumento no consumo de combustível.
 

Sem Comentários

Insira um Comentário