Audi do Brasil prova que está bem: apresenta alta de 59% nas vendas de agosto

Audi do Brasil prova que está bem: apresenta alta de 59% nas vendas de agosto

 audi-logo
O mercado vai mal para a maioria, mas para outros parcos ele está bem e muito obrigado. Este é o caso da Audi do Brasil que vem mantendo um acelerado ritmo de negócios em 2014 e  encerrou o mês de agosto com vendas de 1.172 unidades, o que representou uma alta de 59% na comparação com o mesmo mês de 2013 e um crescimento de 11% em relação a julho último, quando havia vendido 1.048 veículos.
Os números da empresas são realemnete muito bons: no acumulado de 2014, a Audi já entregou aos clientes brasileiros 8.449 veículos, o que significa um desempenho 110% superior ao registrado entre janeiro e agosto de 2013. Para o CEO da marca aqui noi Brasil, Jörg  Hofmann, esse avanço nos negócios foi um dos principais motivos que fizeram com que a Audi fosse eleita “A Marca Mais Desejada” em pesquisa da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), realizada com os concessionários de todas as marcas do País. A escolha, feita entre maio e julho deste ano, teve a participação mínima de 25% das revendas de cada rede.
 

Jörg Hofmann tem motivos para estar feliz

Jörg Hofmann tem motivos para estar feliz


Em 2014, a Audi fez uma completa renovação de seu portfólio, tendo apresentado ao mercado diversos produtos que já se tornaram objeto de desejo dos brasileiros. Entre eles, o RS Q3, o S3 Sportback (da família A3) e o superpotente RS7, um V8 de 560 cv.  Além disso, as ruas locais tiveram como novidade o exclusivo A1 Kult e duas versões do A3 Sedan, a 1.8 TFSI e a 1.4 TFSI.
E para continuar nesse ritmo de crescimento, a Audi tem hoje 32 concessionárias em todo o país e o objetivo é chegar a 60 revendas em 2017. O aumento da rede para este volume fornecerá o suporte ideal para a ampliação das vendas no Brasil, que deve se intensificar ainda mais após o segundo semestre de 2015. A partir desta data, começará a produção da nova fábrica de Curitiba, com investimentos de R$ 500 milhões para produzir o A3 Sedan e o SUV Q3.
 

Sem Comentários

Insira um Comentário