WABCO participa da IAA 2014

WABCO participa da IAA 2014

c1 
No maior evento mundial do segmento de linha pesada, a empresa se diferencia pela capacidade de aumentar a segurança e a eficiência em veículos.
A WABCO estará na IAA Veículos Comerciais 2014, em Hannover, Alemanha, para mostrar a sua liderança tecnológica em avançados sistemas de segurança veicular, produtos e serviços, que incluem soluções para a gestão de frotas. A IAA 2014 estará aberta para o público de 25 de setembro a 02 de outubro.
“Na IAA 2014 a WABCO vai mostrar como a sua liderança tecnológica é baseada na capacidade de prever e realizar inovações que aumentam a segurança e a eficiência de veículos, antecipando as necessidades do amanhã destaca o suporte que oferece a fabricantes de caminhões, ônibus e semirreboques em todas as regiões do mundo. No evento, esperamos encontrar uma significativa representação de clientes de todo o mundo”, disse Jacques Esculier, presidente da WABCO.
Entre as novidades, a WABCO vai apresentar a tecnologia OptiDrive para transmissão manual automatizada (AMT), que aumenta a economia de combustível em até cinco por cento, por meio da otimização da troca de marchas. O OptiDrive aumenta a eficiência do veículo e ao mesmo tempo melhora a segurança do veículo e a eficácia do motorista, uma vez que o libera de movimentos frequentes, como pisar no pedal de embreagem e mudar a marcha de velocidade.
A WABCO também apresentará seu portfólio de tecnologia de segurança que ajuda a salvar vidas em acidentes envolvendo veículos comerciais. São novidades de alta tecnologia para mitigação de colisão, frenagem de emergência e sistemas avançados de assistência ao condutor, entre outras. A tecnologia está no produto OnGuard, sistema de mitigação de colisão (CMS) pioneiro com frenagem ativa. A WABCO também se diferencia por integrar tecnologias para elevar ainda mais a segurança do veículo. O OnGuardPLUS é o primeiro sistema avançado de frenagem de emergência da indústria que está em conformidade com os regulamentos vigentes da União Europeia. Ele avisa o motorista, freia autonomamente e pode levar o veículo a uma parada completa.
 
FPT Industrial atinge marco de 400.000 motores produzidos na América Latina
c
Empresa fornece propulsores para os caminhões da Iveco e Ford.
A FPT Industrial, fabricante de motores, atingiu o marco de 400.000 motores a diesel produzidos para o mercado da América Latina, seguindo o desenvolvimento de sua primeira fábrica na região em 2000. A fábrica brasileira, em Sete Lagoas, foi aberta há cerca de 15 anos, em uma área de 30.000 metros quadrados e emprega mais de 270 pessoas. Dentro do portfólio da empresa, são produzidos motores para os caminhões Iveco e Ford.
A FPT investiu US$ 38,8 milhões na construção de sua segunda fábrica latino-americana, na Argentina, que foi inaugurada em 2012 e emprega mais de 300 pessoas. A fábrica em Córdoba abrange uma área de 20.000 metros quadrados e atualmente fabrica motores da bem sucedida série Cursor da empresa.
Com o propósito de aumentar ainda mais a sua gama de serviços ao cliente na América Latina, a FPT Industrial possui um centro de Pesquisa e Desenvolvimento na cidade de Betim, em Minas Gerais. O centro suporta a personalização dos motores locais e atende as necessidades dos clientes, e obteve autorização para realizar testes de aprovação de emissões, em conformidade com as normas e procedimentos da PRONCONVE – programa para o controle da poluição do ar pelos veículos motorizados.
“Atingir este marco na produção de 400.000 motores a diesel comprova a consolidação dos produtos da FPT Industrial no mercado latino-americano. Desde o ano 2000, nosso foco tem sido manter fortes relacionamentos com os nossos clientes já existentes, que incluem empresas como Fiat e Iveco. A empresa também continua em busca de novos negócios, e com as duas fábricas com capacidade de produção de mais de 90.000 motores por ano, a FPT Industrial é capaz de fornecer o serviço-chave exigido pelo mercado, o que deve aumentar ainda mais sua participação no mercado de motores da América Latina”, disse José Luís Gonçalves, presidente da FPT Industrial na América Latina.
 

Mauro Cassane/MM Editorial

 
 
 

Sem Comentários

Insira um Comentário