Serviço: seis dicas para identificar correias falsificadas

Serviço: seis dicas para identificar correias falsificadas

meuautomovelcorreias-1
Proprietários de veículos, profissionais e varejistas do setor automotivo devem ficar atentos: as autopeças estão em primeiro lugar no ranking de falsificações, segundo a ABCF (Associação Brasileira de Combate à Falsificação). Além de afetar o mercado, com prejuízos de R$ 3 bilhões ao ano, essa prática coloca vidas em risco, pois produtos pirateados não atendem aos padrões de engenharia e normas técnicas de segurança. Uma correia dentada original, por exemplo, é fabricada com alto nível de tecnologia embarcada e projetada para resistir às situações de uso mais extremas do motor.
correia_v
Segundo a ContiTech, especialista mundial em componentes automotivos à base de borracha, a correia falsificada pode causar danos ao motor, como empenamento das válvulas de admissão e escape e desgaste no cabeçote. A quebra deste componente pode gerar um alto custo financeiro para consertar o motor, além dos dias sem carro. E, mais grave, se a correia quebrar com o veículo em movimento, o risco de acidente é enorme.
correira_dentada
Para evitar problemas, a ContiTech, marca do Grupo Continental, um dos maiores fornecedores mundiais da indústria automobilística, elenca seis pontos que devem ser observados ao adquirir uma correia automotiva.

  1. Conferir o número de série. Cada peça possui um único e específico número de série. O ideal é comparar com as demais peças da loja ou oficina, para verificar se o número é exclusivo.
  2. Checar o código exclusivo. As peças da ContiTech possuem um código chamado Data Matrix, uma espécie de QR Code. Com um smartphone é possível fazer a leitura do código. Se o celular não reconhecer, significa que a peça é falsa.
  3. Comparar os dados. Ao abrir o Data Matrix no celular, aparecerá uma sequência de números. Basta comparar os primeiros dígitos com o número de série da peça. Eles precisam ser iguais.
  4. Verificar a embalagem. Correias dentadas originais de fábrica são embaladas em caixas lacradas. Nunca vêm soltas, em embalagens plásticas ou presas com fita adesiva. Já as correias V e Multi V da ContiTech são apenas envolvidas por uma embalagem chamada luva. Fique atento!
  5. Pesquisar os preços. Peças baratas demais devem ser avaliadas. É importante pesquisar preços e desconfiar de produtos cujo valor esteja muito abaixo do praticado no mercado.
  6. Exigir nota fiscal. Esta é outra forma de comprovar a autenticidade da peça. E mais: com ela, é possível reivindicar a garantia do produto em caso de defeito.

Consumidores com dúvidas sobre correias automotivas podem entrar em contato direto com a ContiTech, pelo telefone (11) 5070-1100 ou por e-mail contitech-correias@contitech.com.br.
 

Sem Comentários

Insira um Comentário