Pesquisa mostra porque o carro no Brasil é até 130% mais caro que nos EUA

Pesquisa mostra porque o carro no Brasil é até 130% mais caro que nos EUA

carro-dinheiro
Comprar um carro no Brasil pode sair até 130% mais caro em comparação aos Estados Unidos. É o que aponta levantamento realizado pelo site Preço de Carros (www.precodecarros.com). A pesquisa considerou oito modelos ano 2014 de diferentes marcas que caíram no gosto dos brasileiros e dos norte-americanos.
TABELA FINAL_201412511373
O Jeep Grand Cherokee Laredo, da marca britânica Cherokee, é o modelo com maior diferença de preço, saindo 131% mais caro quando comprado no Brasil – por R$ 174.900,00 – do que nos Estados Unidos, pelo equivalente a R$ 75.615,05. O carro com custo mais parecido nos dois países é o New Fiesta Hatch, da Ford, que apresentou apenas 7% de variação no valor praticado aqui, R$ 44.700,00, e na terra do Tio Sam, R$ 41.958,00.
“Um carro no Brasil é, em média, 70% mais caro que nos EUA. O principal motivo para essa acentuada diferença é a alta incidência de impostos do nosso país, principalmente sobre os modelos importados”, afirma Thiago Correia, porta-voz do Preço de Carros.
Entre os carros que se aproximam dessa média de variação de preço está o Fusion, da Ford, modelo de luxo no Brasil com custo de R$ 133.900,00. Nos EUA, ele sai por R$ 74.525,25, 80% mais barato.
Preço de Carros_página inicial_2014124152656
Os valores de automóveis também variam muito dentro do Brasil. Pensando nisso, e para ajudar o consumidor a fazer uma compra vantajosa, Thiago Correia criou o Preço de Carros. O site conta com mais de 180 lançamentos, anos 2014/2015, de 14 marcas nacionais e importadas.
Na página é possível ter acesso a fotos e à ficha técnica completa de variadas versões de carros, além, claro, do preço praticado pelo mercado. O usuário pode ainda tirar dúvidas no campo comentários, que são respondidas pela equipe do Preço de Carros.
Com tráfego de cerca de sete mil pessoas por dia, a meta é alcançar a marca de 50 mil acessos diários até o final de 2015. O site deve ganhar também uma ferramenta de comparação de valores, para auxiliar ainda mais o consumidor.
 

Sem Comentários

Insira um Comentário