Reparador de Santos vence o GP Motorcraft e leva um Ford New Fiesta 0 km

Reparador de Santos vence o GP Motorcraft e leva um Ford New Fiesta 0 km

1
A Ford promoveu neste sábado a final do Grande Prêmio Motorcraft, ação inédita que premiou o melhor reparador independente de automóveis do Brasil com um New Fiesta. O vencedor foi Ricardo Cramer dos Santos, de Santos, SP, que conseguiu terminar o reparo de um veículo no menor tempo entre os dez finalistas. A prova, realizada na escola SENAI do Ipiranga, em São Paulo, contou com a presença de Antonio Taranto, diretor de Serviço ao Cliente da Ford América do Sul, Antonio Fiola, presidente do Sindicato da Indústria de Reparação de Veículos e Acessórios (Sindirepa), e Fábio Rocha, diretor do SENAI.
O objetivo do programa é valorizar os reparadores independentes de veículos e reconhecer a sua importância no mercado. Além de facilitar o acesso a peças de reposição, por meio da linha Motorcraft, a proposta da Ford é contribuir para a capacitação técnica desses profissionais.
Antonio Taranto parabenizou os finalistas e agradeceu aos mais de 5.600 reparadores de todo o Brasil que participaram do GP Motorcraft. “Este é só o começo de uma grande parceria. Vamos repetir o prêmio no ano que vem e espero que participem de novo”, disse, agradecendo também a parceria do SENAI, da Bosch e do grupo Oficina Brasil.
Segundo ele, a linha de peças Motorcraft é composta hoje por mais de 700 peças de alto giro, que atendem desde veículos com um ano até mais de 20 anos de uso. “Fizemos um trabalho grande de redução de custo das peças, inclusive dos carros mais antigos, renovando a marca Motorcraft que já era forte. Os distribuidores que investiram nesse programa aumentaram em 46% a venda de peças no período de um ano.”
“Queremos comunicar para o mercado que a linha Motorcraft representa disponibilidade de peças com preço competitivo, qualidade e durabilidade”, acrescentou Rodolfo Possuelo, gerente de Serviço ao Cliente da Ford Brasil.
4
O presidente do Sindirepa destacou o ineditismo da ação da Ford. “É a primeira vez que uma montadora faz uma ação como essa, um marco na reparação automotiva do Brasil”, destacou Antonio Fiola. “Ela consegue reunir toda a cadeia do setor – montadora, concessionárias, os donos de oficinas, os mecânicos, a escola que ensina os mecânicos, o jornal que o mecânico lê – e dá para o mecânico uma importância sem precedentes. Mas o principal é o respeito como ele foi tratado, o que me deixa muito feliz. A Ford deu o maior passo para ser a marca preferida do reparador.”
Ricardo Cramer dos Santos, vencedor do GP Motorcraft, como muitos reparadores começou na profissão trabalhando na oficina do pai, há 27 anos. “Tive convites para trabalhar em grandes empresas, mas preferi continuar o negócio da família”, conta. Hoje, é seu filho Mateus que segue os mesmos passos. Ricardo cursou Eletrônica na Escola Técnica Federal de São Paulo, em Cubatão, fez cursos técnicos no SENAI e na Bosch e se atualiza nas novas tecnologias pela internet.
Segundo ele, a prova foi difícil e bastante técnica, tanto na primeira fase como na parte prática, em que os concorrentes tiveram duas horas para solucionar uma pane elétrica em um veículo. “Tenho orgulho de sempre descobrir os defeitos nos carros, mas no dia a dia não existe essa pressão de tempo. É um presente estar aqui entre os dez finalistas”, disse Ricardo, antes mesmo de saber que seria o campeão. “É uma valorização da nossa profissão, que não é mais o mecânico, mas o reparador. Este é um reconhecimento que não tem preço.”
 

O vencedor  Ricardo Cramer dos Santos, de Santos, SP

O vencedor Ricardo Cramer dos Santos, de Santos, SP


Como todos os finalistas ele participou de várias atividades durante o GP Motorcraft, incluindo uma visita à fábrica da Ford em São Bernardo do Campo. “A Ford tem hoje tecnologia de última geração. O sistema de comunicação do módulo eletrônico dos seus carros, por exemplo, é o mais avançado do mercado. E fiquei impressionado com a complexidade da fábrica, com tantos robôs”, comentou Ricardo, que ganhou um abraço emocionado da esposa Patrícia após ser anunciado o vencedor.
Outros finalistas também elogiaram a proposta do GP Motorcraft. “É muito legal esse programa, em que somos tratados como parceiros, não como concorrentes. A Ford demonstrou que está querendo se aproximar e abrir as portas”, comentou Diego Rafalski, de Mafra, SC, que aprendeu a profissão na oficina do pai.
“É um programa bom para a classe dos reparadores”, acrescentou Cláudio de Oliveira Carvalho, finalista de Vacaria, RS, que entrou no setor há 20 anos, depois de tornar-se sargento mecânico no serviço militar. “Foi muito válida também a visita à fábrica. O diagnóstico dos carros está cada vez mais complexo e o reparador precisa estar atualizado para conquistar a confiança do consumidor e ser recomendado.”
2
Os demais finalistas foram: Silvio Clovis Kersting (Panambi, RS), Christiano Rinhel Macedo (São José, SC), Jadir Foiato (Foz do Iguaçu, PR), Francisco Parizzi Obice (Toledo, PR), Welder Vicente de Santana (Aparecida de Goiânia, GO), Tiago de Santana Dantas (Itumbiara, GO) e Mauricio Orlando (Mogi Mirim, SP).

Sem Comentários

Insira um Comentário