Mostra “Jerry Lewis: O Rei da Comédia” exibe 23 filmes a preços populares

Mostra “Jerry Lewis: O Rei da Comédia” exibe 23 filmes a preços populares

jerry_lewis_wallpaper_by_potterhead_writer-d5iq0wm
Desde “O Mensageiro Trapalhão” até “O Professor Aloprado”, chegando à década de 80 com “Um Trapalhão Mandando Brasa”, Jerry Lewis sempre esbanjou talento e carisma acima da crítica. Pode-se dizer que sua trajetória confunde-se com a própria história da comédia moderna sem que a expressão soe ofensiva – e isso pode ser constatado ao se consultar atores e diretores do gênero acerca de suas principais influências. Tendo por proposta o resgate histórico de uma carreira genial, o Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo apresenta, entre 4 e 30 de março, a mostra “Jerry Lewis: O Rei da Comédia”, que promoverá a exibição de 23 filmes que contaram com os trabalhos do artista norte-americano, seja na companhia de Dean Martin, seja em carreira solo ou atuando nos bastidores. As obras serão rodadas em formato digital, com exceção dos filmes “Um palhaço no batalhão”, “O professor aloprado”, “O bagunceiro arrumadinho”, “Uma família fuleira” e “Uma dupla em sinuca”, que tem formato 35mm.

Dean Martin e Jerry: a dupla impagável

Dean Martin e Jerry: a dupla impagável


Lewis destacou-se, ainda na década de 60, na função de “autor total”, dirigindo, atuando e roteirizando os próprios filmes. Seu estilo inovador marcou uma quebra de paradigmas com relação ao cinema produzido nos Estados Unidos até então, aproximando-o das vanguardas europeias no que diz respeito à quebra da lógica cronológica, metalinguagem, transgressão da lógica espacial do cinema clássico, narrativa não linear e abolição da trama. Esta ousadia lhe valeu reverências da crítica francesa – a mais exigente da área – e estranhamento no seu país de origem, apesar do prestígio mantido desde sua fase de “somente ator”.
"O Professor Aloprado"

“O Professor Aloprado”


A mostra contempla três períodos da atuação de Lewis. O primeiro refere-se à fase em que fazia duos com Dean Martin e os enredos eram mais ingênuos; o segundo, voltado à carreira solo, sobretudo às sofisticadas comédias do diretor Frank Tashlin. O último, por sua vez, enfoca os filmes que Lewis dirigiu e atuou. Ainda haverá debate com participação do público e comando dos especialistas Sérgio Alpendre (Folha de São Paulo e UOL Cinema) e Inácio Araujo (autor de “Hitchcock, o Mestre do Medo”,“Cinema, o Mundo em Movimento” e do romance “Casa de Meninas”), no dia 12/3, às 19h.
"Etrrado pra Cachorro"

“Etrrado pra Cachorro”


O artista tem duas estrelas na Calçada da Fama e, em 2005, recebeu o GovernorsAward da Academia de Artes e Ciências Televisivas. Em 2013, voltou ao cinema com o drama “Max Rose”, agitando a imprensa mundial. O primeiro filme da mostra é “o Rei da Comédia”, que será exibido na sala às 19h do dia 04 de março e é indicado para maiores de 12 anos. Confira as fichas técnicas de cada filme e a programação completa anexa.
Serviço:
Mostra “Jerry Lewis: O Rei da Comédia”
Data: 4 a 30 de março de 2015 (Dia 15 não haverá programação)

Classificação:livre

Lugares: (70 lugares)
Preço: R$ 4 e R$ 2 (meia)
Centro Cultural Banco do Brasil:  Rua Álvares Penteado, 112 – Centro. Próximo às estações Sé e São Bento do Metrô. Informações (11) 3113-3651/3652. Acesso e facilidades para pessoas com deficiência física // Ar-condicionado // Loja // Café Cafezal.
fachada-ccbb-foto-carlo-ferreri-clara-10x15
www.bb.com.br/cultura
www.twitter.com/ccbb_sp
www.facebook.com/ccbbsp
Estacionamento conveniado:Estapar Estacionamentos – Rua da Consolação, 228 (EdifícosZarvos). R$ 15,00 pelo período de 5 horas. Necessário carimbar o ticket na bilheteria do CCBB. Informações: (11) 3256-8935.
Translado Gratuito:Uma van faz o translado gratuito entre o Edifício Zarvos e o CCBB. No trajeto de volta, tem parada no Metrô República.
Embarque e desembarque: Rua da Consolação, 228 (Ed.Zarvos) e Rua da Quitanda, próximo à entrada do CCBB.

Sem Comentários

Insira um Comentário