Mercado online: procura por motos cresce 194%

Mercado online: procura por motos cresce 194%

moto mercado_1
O interesse por motocicletas teve aumento considerável nos últimos oito anos, aponta o Índice WebMotors. De acordo com o maior site de classificados do Brasil, as buscas por veículos de duas rodas aumentaram 194% no período, enquanto o crescimento do número de ofertas no site foi ainda mais expressivo: 445%.
Em janeiro de 2007, ano em que o índice passou a ser contabilizado, o estoque de motocicletas no WebMotors era de 998 modelos, em março deste ano o número já ultrapassou as 5.000 unidades. Já as buscas no mesmo período de 2007 somavam pouco mais de 240 mil ou 1,4% do volume de todo o site. Em 2014 passou a marca dos 714 mil, o que representa 5,19% do total.  No caso específico de unidades anunciadas, a média por mês naquele ano era de 1.071, enquanto o volume no ano passado atingiu relevantes 4.553.
“A alta no preço do combustível, o trânsito caótico das grandes metrópoles e a correria do dia a dia são questões que levam os condutores a optarem por formas mais práticas e econômicas de locomoção”, afirma Rafael Constantinou, gerente de Marketing do WebMotors. “E a tendência é que estes números (buscas e anúncios) continuem crescendo pelos próximos meses”, complementa o executivo.
“Outro ponto diretamente envolvido com o crescimento da procura por motocicletas é a praticidade e rapidez que o ambiente online proporciona às pessoas. Hoje, por exemplo, o WebMotors disponibiliza um aplicativo que possibilita o usuário não apenas fazer uma busca completa pelo modelo desejado, mas também, apenas por intermédio mde seu smartphone, confeccionar o seu anúncio desde a inclusão das fotos ao pagamento – tudo de maneira simples, intuitiva e o mais importante: segura”, analisa Constantinou.
Além disso, a capital paulista lidera o ranking das capitais que mais anunciam e buscam motos no País. Quanto aos anúncios, são 30%, e sobre as buscas, 75% de toda a frota ofertada no WebMotors.
De acordo com informações da Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), embora o atual momento seja de desaceleração econômica, as vendas de motos sofreram um impacto menor se comparado com o comércio de automóveis zero quilômetro. No primeiro quadrimestre deste ano em comparação com o mesmo período de 2014, a queda nas vendas de carros foi de 18%, enquanto nas de motos ficou em 10,6%.
É importante destacar que nas regiões Sudeste e Centro-Oeste as vendas de motocicletas no último mês foram na contramão e registraram altas, ainda que discretas: 0,25% e 0,31%, respectivamente. Quanto aos segmentos, o cenário foi positivo, nacionalmente falando, para os tipos trail (aumento de 0,34%), naked (0,37%), maxtrail (0,17%), custom (0,13%), sport (0,13%) e touring (0,06%).
 

Sem Comentários

Insira um Comentário