Serviço: a dificuldade para ligar o carro flex no inverno

Serviço: a dificuldade para ligar o carro flex no inverno

blog_de_rotas_inova_carro_inverno2
Com o preço mais vantajoso do que o da gasolina, o etanol tem sido a primeira opção do consumidor em diversos estados brasileiros. Embora ofereça benefícios econômicos, a maioria dos motores abastecidos com combustível à base de cana pode apresentar dificuldades para a partida em dias frios. A NGK, especialista mundial em velas de ignição, destaca cuidados para evitar o problema.
Segundo Hiromori Mori, consultor de Assistência Técnica da NGK, a falha geralmente ocorre pela falta de manutenção do reservatório para gasolina. Porém, velas e cabos de ignição desgastados também contribuem para o mal desempenho do motor durante o inverno, principalmente após longo período desligado.
0,,21191696,00
“A vela de ignição trabalha sob condições severas, como pressão e altas temperaturas. Com o uso, sofre um desgaste natural, que nem sempre é percebido pelo motorista. Por isso, a NGK recomenda a sua inspeção a cada 10 mil quilômetros ou anualmente, o que ocorrer primeiro”, informa. O especialista ressalta que aumento no consumo de combustível, falhas de funcionamento e elevação dos níveis de emissões de poluentes, também indicam problemas com a peça.
Os cabos de ignição, responsáveis por conduzir a alta tensão produzida pela bobina (transformador) até as velas, igualmente necessitam de checagem periódica, que deve ser feita junto com as velas.
revisao_ferias
Além da atenção com estes componentes, os proprietários de modelos que utilizam reservatório para gasolina (tanquinho) devem mantê-los abastecidos com gasolina nova e de boa qualidade. A recomendação é que o combustível seja trocado a cada 90 dias. É preciso que o sistema de partida a frio esteja operando corretamente e sem vazamentos. O estado da bateria também pode prejudicar o funcionamento do carro em dias frios e merece atenção.
Outra dica do técnico de Assistência Técnica da NGK para veículos flex é percorrer de 10 a 15 quilômetros, antes de deixar o carro com o motor desligado por um longo período, quando houver a mudança de combustível. O especialista explica que a ação é necessária para que o sistema de controle do motor reconheça o novo combustível no tanque e reprograme a estratégia de funcionamento, inclusive durante a partida a frio.
Em casos de falha ao dar a partida, insistir para ligar o motor pode encharcar as velas. A recomendação é desligar o veículo e aguardar até que o combustível evapore por completo, o que pode levar até 30 minutos, dependendo do carro.
 

Sem Comentários

Insira um Comentário