Avaliação: a publicitária e o Jeep Renegade Longitude

Avaliação: a publicitária e o Jeep Renegade Longitude

1

Sinônimo de 4×4, o primeiro Jeep iniciou sua história na década de 40 para servir na gerra, muito tempo passou e muita coisa mudou. Agora a Jeep esta na guerra para o primeiro lugar nas vendas de suv, que caiu na graça dos brasileiros e parece que também esta conquistando o mercado externo.

2

O novo Jeep Renegade esta agradando e formando uma nova legião. Com um leque bem grande de opções, o Renegade tem configuração para quase todos os bolsos e gosto. O nome Renegade vem negar e renegar o que foi definido como padrão, o que já existe.

3

Como já tinham uma legião de fãs, formados pelas antigas safras, vindo principalmente dos jipes militares, o Renegade tem tudo para atualizar esse segmento e mostrar para o publico Brasileiro esse carro tão bem pensado e que tem tudo pra evoluir ainda mais.

4

O modelo foi apresentado pela primeira vez no Salão do Automóvel do ano passado. Inicialmente, a especulação era grande e muitos apostavam que a Jeep não colocaria um produto 4×2, pela forte tradição com seus veículos 4×4, mas acontece que, além de oferecerem a opção de 4×2, eles também oferecem a opção de dois motores e três câmbios, com preços partindo de 69.900 e podendo chegar aos 116.990.

5

O modelo que chegou para avaliação de Super Top Motor é o Longitude, com motor E-torQ Evo 1.8 16v Flex (Fiat), que com algumas alterações e novas calibragens conseguiu entregar 19,1 kgfm de torque a 3.750rpm e 132cv de potência. Acoplado ao cambio automático AT-6 (seis marchas), sugere uma tocada menos esportiva e mais soft, visando a economia de combustível. Para aquele que não abre mão do motorzão, velocidade e gosta de acelerar forte, a lista é grande de veículos prontos para isso, mas nela, não estará o Renegade, nem mesmo em sua versão diesel. Este é o carro para quem quer passear, mesmo que seja no caminho do trabalho.

6

Viajamos por aproximadamente 1.100 km, entre rodovias com ótima pavimentação, como Bandeirantes, Airton Senna e Carvalho Pinto, subimos a serra para Campos do Jordão, subimos e descemos estradas de terra e cascalho no sul de Minas Gerais, fomos ao interior de São Paulo com calor intenso, além do transito caótico de São Paulo e suas marginais, tudo isso com extrema tranqüilidade e sem problemas. O Renegade mostrou ser muito prazeroso na condução. Tantos pontos positivos que não da vontade nem de falar dos poucos pontos negativos, mas vamos esclarecer tudo, inclusive sobre a ótica da nossa personagem da vez, Adriana Bó Andrade, 44 anos, formada em publicidade, mas atualmente desbravando o mundo da corretagem imobiliária com seu Kia Soul como ferramenta de trabalho, mas que depois da avaliação decidiu trocar seu Kia por um Jeep Renegade, mas como ela mesma disse: “Vou querer um exatamente igual a este, o mesmo modelo”. Adriana ressaltou ainda o design do carro que lhe agrada, mas indagou as poucas opções de cores.As opções são poucas mesmo, no total são quatro cores sólidas: Vermelho Colorado, Verde Commando, Branco Ambiente e Preto Shadow, sendo as três primeiras opções com teto Preto por mais 720,00. A cor metálica é a Prata Melfi por 1.300,00 e com teto preto 2.020,00.

7

A iluminação em geral do carro é muito boa, internamente tem luz balizadora em vários pontos, como nos nichos, em baixo do painel e outros, não te deixando no breu quando precisa encontrar alguma coisa dentro do carro. O sistema de faróis é eficiente, inclusive quando em vias sem iluminação publica. Uma luz auxiliar ascende toda vez que for converter uma curva, iluminando assim o piso, tornando segura a conversão. Uma prática e bem vinda lanterna no porta-malas, removível e recarregável parecia obvio, mas que ainda não tinha visto em outros modelos.

8

Esta versão avaliada é o modelo de maior numero de vendas da marca, com valor intermediário de 82.900. Nós da Super Top Motor ainda não testamos a versão topo de linha, movida a diesel e com tração 4×4, mas podemos dizer que esta versão flex de cambio automático é uma ótima escolha para os que não precisam do 4×4. Mesmo em estrada de terra com pedras no caminho, passou bem.

9

Com 1.430kg o Renegade não esconde que esta um pouco acima do peso com o motor flex, mas nada que incomode ou atrapalhe. Aliás, falando em incomodar, o teto faz ruído na torção da carroceria quando fechado.

10

As rodas desta versão são de 17″, com pneus de perfil muito baixo 215 60, o que causa um estranhamento, parece que não combina com o modelo, mas deve ser mais eficiente no quesito estabilidade e consumo, apesar de acharmos que o consumo foi um pouco elevado, considerando as 6 marchas. Nosso consumo médio foi de 8kml.

11

O volante é macio e ótima pegada, mas o encosto de cabeça muito curvo para a frente incomodou. Os bancos são duros, cansam em longos percursos, mas seguram bem o corpo sobre eles. Conta com sistema de auxilio para estacionar, mas não foi simples de usar. Direção com auxilio elétrico é muito leve para manobras com o carro parado e firme acima dos 100 kmh, transmitindo segurança.

12

Em resumo, este é mais um modelo que vai para a garagem da Super Top Motor. Já estamos com saudades e ansiosos pela chegada da versão 4×4 diesel para nossa avaliação.

13

Fotos e texto: Flávio Verna

Sem Comentários

Insira um Comentário