Avaliação: Peugeot 2008 Griffe 1.6 Flex "Aspirado e Inspirado"

Avaliação: Peugeot 2008 Griffe 1.6 Flex "Aspirado e Inspirado"

0

Avaliamos o novo Peugeot 2008 e nos surpreendemos com o rigor do capricho e excelência na construção.

2

Parece que os franceses já estão se sentindo em casa por aqui, pois conseguiram fazer um produto que tem tudo para agradar gregos e troianos, ou melhor, brasileiros e franceses.

1

Quantas pessoas com potencial para a compra deste carro ele pude ser apresentado, será o quanto ele será vendido. Todos que conversamos sobre o modelo, tanto os que ainda não conheciam, quanto os que já conhecem, se disseram impressionados com o 2008, será um sucesso de vendas e marcará a história da Peugeot no Brasil mais uma vez.

3

A descrição desse carro não deveria ser feita tecnicamente, mas sim, sensitivamente. Se eu fosse um vendedor de carros, todos clientes que eu fosse apresentar o 2008, teriam que sentir o carro. Avisaria que precisariam dedicar no mínimo 30 minutos só para experimentar o carro. Tentaria proporcionar tudo que este modelo proporcionou a mim enquanto o avaliei. Reclinaria os bancos em baixo de uma grande arvore e ficaria ali, no conforto dos seus assentos, observando a paisagem pelo grande teto de vidro, aliás, assentos esses de muita presença, mesclando couro sintético com um tecido marrom de muito bom gosto. Colocaria minha playlist preferida para tocar em seu excelente conjunto de áudio, no frescor de seu eficiente ar condicionado de duas zonas. O resto é só contemplação.

12

Faria a pessoa passar a mão e sentir o macio toque do volante, agarrar seu aro menor, com estilo esportivo e sentir a firme pegada que ele proporciona, gerando segurança na condução. Usando-o, poderá sentir como é leve e preciso. Posso garantir que é delicioso manobrar este modelo.

7

Ainda ao volante, esticando os dedos indicadores, poderá sentir as aletas (paddle shift) para trocas de marchas ao seu comando. Pularia a parte de “puxar” a alavanca tipo “manche”, ela não é prazerosa de usar, infelizmente, requer força e jeito para tal.

10

Voltando ao habitáculo do veiculo, a sensação de liberdade com segurança é o principal. O prazer de dirigir com transparência não tem preço, principalmente em regiões arborizadas e verdes, com teto panorâmico envidraçado tudo muda, ficamos mais integrados com o externo, ajudando até na percepção do movimento ao redor do carro.

8

Para os que não sentem bem no quadrado, eis aqui a solução, tudo tem curvas, nada é feito sem pensar no design. As rodas de liga leve de 16″ são harmoniosas. Por onde quer que tocamos, sentimos a qualidade impressa. Este projeto foi executado com primazia e nós da Super Top Motor levaríamos sem duvida nenhuma o novo Peugeot 2008 para nossa garagem.

6

Os modelos disponíveis são: Allure 1.6 flex por a partir de 67.190, Griffe 1.6 flex por a partir de 71.290 (Versão avaliada) e a versão mais cara e completa, de mesmo nome Griffe com o acréscimo da sigla THP (Turbo High Pressure) por a partir de 79.590, que conta com o forte motor THP (sigla em português: turbo de alta pressão),  mas sem a opção do cambio automático, ou seja, para quem curte trocar marchas e não gosta do manual é uma excelente opção, porque para aliar esportividade a segurança, a Peugeot contemplou o modelo THP com o moderno sistema Grip Control (controle de tração), com cinco módulos de funcionamento: barro, areia, neve, normal e off, possibilitando o uso do carro em diferentes terrenos seguramente. Esse é um grande diferencial sobre os outros modelos.

11

Além destes importantes detalhes, inclui a mais ESP, Hill Assist (sistema de auxilio de partida em aclive) e detalhes cromados nos retrovisores e também na moldura dos faróis de neblina).

4

Entre o modelo aspirado (115cv) e o THP (173cv) difere pelo seguinte perfil: Uso em maior tempo na cidade com transito e poucas viagens a bordo do carro, pode ir de aspirado. Para quem gosta de dirigir, pegar estrada, desbravar novos lugares, direção mais esperta e “cambiar” marchas, a escolha sem duvidas é o THP.

5

Texto e fotos: Flávio Verna

Sem Comentários

Insira um Comentário