GP Abu Dhabi: Rosberg vence no apagar das luzes

GP Abu Dhabi: Rosberg vence no apagar das luzes

278716
O suntuoso GP dos Emirados Árabes fechou a temporada sem grandes emoções. Nico Rosberg venceu mais uma com Lewis Hamilton em segundo e Massa foi só 8º. 
Uma corrida morna, onde as equipes fizeram o possível para pontuar e garantir uma fatia maior do bolo que é distribuída entre os times na próxima temporada. Assim pode ser definida a prova que começa com luz natural e termina com iluminação artificial. Como na maior parte da temporada, a Mercedes dominou e na largada Rosberg manteve a primeira posição com Hamilton em segundo. Esperava-se que o atual campeão iria pra cima, buscar a última vitória do ano. Mas o time não ajudou. O inglês tentou mudar a estratégia de troca de pneus, usar os super macios na última parada, não conseguiu e teve que se contentar com mais um segundo lugar.
 
A impressão é que a Mercedes iniciou os trabalhos para fazer Rosberg campeão em 2016, já que o inglês conquistou dois títulos seguidos e precisa dividir um pouco mais os louros da vitória. Assim vamos ficar atentos para os acontecimentos e saber se os dois começarão em condições iguais de brigar pelo titulo.
278713
O terceiro e quarto lugares conquistado pela Ferrari, com Kimi Raikkonen e Sebastian Vettel, confirmou que a equipe italiana foi a que mais evoluiu, porém, não o suficiente para enfrentar a Mercedes.
278718
A Williams ficou no mesmo patamar que se encontrava na temporada passada, conquistou pontos graças a experiência de Felipe Massa e a rapidez de Valtteri Bottas. Massa cometeu alguns erros e a equipe também. Falta desenvolver melhor o carro e aprimorar-se na estratégia. Em Abu Dahbi erraram feio. Massa largou em oitavo, perdeu posições, recuperou-se e perdeu de novo na parada para trocar pneus. E Bottas, além de ter uma largada ruim, na primeira parada, a equipe o liberou junto com uma McLaren que estava chegando. Ele perdeu o bico, teve que dar uma volta inteira sem a asa dianteira e ainda foi punido.
278720
Pelos lados da RBR o time com dois pilotos talentosos, Daniel Ricciardo e Daniil Kvyat, sofreu com os propulsores Renault, mas também não fizeram para tentar ajudar. Só criticaram o que não levou a nada. Ameaçaram deixar a F-1 foram atrás de Mercedes, Ferrari, Honda e ouviram um sonoro ‘não’. Ano que vem terão que continuar com os franceses.
278749
A Force India, Sauber, Lotus, STR e Manor continuam como coadjuvantes. Também entrou neste patamar a McLaren, por causa do motor Honda, que precisa evoluir, elas esperam um grande aporte financeiro para brigar na ponta.
278734
A surpresa da temporada ficou por conta do brasileiro Felipe Nasr. Com uma Sauber que não evoluiu conseguiu somar 27 pontos. Levando-se em conta que tem patrocínio do Banco estatal brasileiro e o companheiro Ericsson chegou só a 9, ele foi o caixa eletrônico do time. Além de levar o dinheiro que garantiu a temporada, conseguiu mais fundos para 2016. E na pista fez seu papel, mostrou que tem talento e pode despontar na maior categoria do automobilismo mundial, assim que tiver um carro bom nas mãos.
Marcaram pontos no GP de Abu Dahbi
278745 (1)

  1. Nico Rosberg
  2. Lewis Hamilton
  3. Kimi Raikkonen
  4. Sebastian Vettel
  5. Sergio Perez
  6. Daniel Ricciardo
  7. Nico Hulkenberg
  8. Felipe Massa
  9. Romain Grosjean
  10. Daniil Kvyat

A F-1 volta dia 15 de março na Austrália, quando inicia a temporada 2016. A novidade será a entrada da equipe americana Haas F1 Team. Antes disso os testes de inverno, quando teremos noção se algum dos times conseguira rivalizar com a Mercedes.
Rapidinhas
Desobediência
Antes de fazer a segunda troca de pneus, Hamilton pensou em desobedecer a equipe. “Parte de mim queria que eu tivesse tentado. Acho que, olhando agora, depois que Nico parou eu deveria ter tirado o pé e economizado meus pneus para que eles durassem mais. Os pneus ainda estavam bons no final, então eu senti que teria a possibilidade de ir até o fim”, comentou o atual campeão.
Faltou ritmo
Felipe Massa lamentou a falta de rendimento que a equipe enfrentou nas últimas provas. “Não tínhamos o ritmo que queríamos e pagamos o preço nas últimas corridas. Foi um final de temporada ruim, mas é uma grande motivação para voltar mais fortes em 2016. Os caras estão trabalhando duro, então esperamos ter grandes ganhos na pré-temporada”, declarou o brasileiro.
Decepção
Felipe Nasr esperava mais na última corrida do ano. “Tive azar no começo da corrida porque fiquei preso no meio de dois carros, o que causou danos na minha asa dianteira e fez com que eu tivesse de parar cedo. Depois só fiquei correndo atrás do prejuízo. Terminar nesta posição não é a maneira como eu queria encerrar a temporada, que foi boa para mim no geral”, falou na entrevista coletiva.

Sem Comentários

Insira um Comentário