Teatro: “Jogo Aberto”, comédia sobre relacionamentos  revela segredos e desejos

Teatro: “Jogo Aberto”, comédia sobre relacionamentos  revela segredos e desejos

Jogo_Aberto_Foto_Joao_Caldas (2)

Três casais se reúnem para mais um jantar entre amigos e a noite garante muitas surpresas, segredos e emoções nesta comédia de Jeff Gould, traduzida e dirigida por Isser Korik. A estreia acontecerá no dia 06 de maio no Teatro Folha.

A versão brasileira da comédia “Jogo Aberto” (It’s Just Sex) tem no elenco os atores Ricardo Tozzi, Natallia Rodrigues, Tania Khalill, Alex Gruli, Pedro Henrique Moutinho e Guta Ruiz. Na trama, o que começa como um simples encontro entre amigos, logo se transforma num perigoso jogo de sedução, em que os personagens confessam intimidades e acabam vivendo experiências que vão afetar a ‘estabilidade’ dos casais. Num “Jogo da Verdade Alcoólico”, eles confessam desejos e sentimentos íntimos e  acabam discutindo sobre valores como honestidade e monogamia. O resultado tem efeito cômico, romântico e ao mesmo tempo provocativo.

O diretor Isser Korik comenta sobre a escolha do texto: “Sempre gostei de comédias de situações, de textos em que a força dos acontecimentos é maior que a dos diálogos. Achei o tema muito pertinente e bem tratado. São questões que estão na vida de todos aqueles que vivem um relacionamento de longa duração. Os personagens são muito bem construídos e não há como o público não se identificar com algum deles”.

O ator Ricardo Tozzi faz o personagem Paulo, um executivo de finanças que é flagrado numa traição conjugal pela esposa Evelyn, personagem de Guta Ruiz. Júlia, interpretada por Tania Khalill, é uma massagista sexy que resiste aos avanços sexuais do insaciável marido Milton, personagem de Alex Gruli. Nathalia Rodrigues vive a advogada Lilian, uma mulher controladora, casada com o tenso André, um profissional da informática, personagem de Pedro Henrique Moutinho.

O encontro entre as personagens acontece na casa de Paulo e Evelyn, logo após a mulher flagrar Paulo com outra mulher. O jantar, cujo pretexto era comemorar a liberdade alcançada com a viagem dos filhos para um acampamento, acaba se tornando o momento em que todos revelam as angústias de seus casamentos. Eles tentam esconder sentimentos em conversas descontraídas, mas as altas doses de álcool liberam fantasias e segredos inconfessáveis. Quando a “mágica” desaparece os três casais precisam encarar o resultado de suas ações, provocando uma reflexão sobre o amor e o compromisso conjugal.

Em todos os lugares onde foi encenada, a peça recebeu ótimas críticas e foi considerada ruidosamente engraçada, provocante, perspicaz, tocante e, finalmente, edificante. Devido ao seu tema universal, as plateias se identificam com as situações da peça ao verem a si mesmas em cada um dos personagens e casais.

Isser Korik diz que para alcançar o resultado cômico, concentra a atenção em todas as nuances oferecidas pelo texto e no trabalho dos atores. “É uma comédia que depende muito da química dos atores entre si e de um ritmo preciso. É esse resultado que buscamos para garantir o efeito cômico”, diz o diretor.

 

 

O diretor

isser_korik_46-divulgacao

Diretor, ator, produtor, tradutor e dramaturgo, Isser Korik coleciona trabalhos marcantes como comediante em quase 30 anos de carreira, como  “Vacalhau & Binho”, de Zé Fidélis, que permaneceu oito anos em cartaz; “O Dia que Raptaram o Papa”, de João Bethencourt; e, recentemente, “E  o Vento não Levou”, de Ron Hutchinson, e “Toda Donzela Tem um Pai que é uma Fera”, de Gláucio Gill. Como diretor se destaca na comédia.

Concebeu “Nunca se Sábado…”, apresentado por quatro temporadas sob sua direção-geral, que marcou a cena paulistana.

Dirigiu o sucesso “A Minha Primeira Vez”, de Ken Davenport; a trilogia cômica de Alan Ayckbourn “Enquanto Isso…”; “O Mala”, de Larry Shue; o projeto “Te Amo, São Paulo”, que reuniu grandes nomes da dramaturgia paulista; além dos infantis “A Pequena Sereia”, de Fábio Brandi Torres; “Grandes Pequeninos”, de Jair Oliveira; “Cinderela”, “O Grande Inimigo” e “Ele é Fogo!”, de sua autoria, tendo recebido por esse último o Prêmio APCA. É diretor artístico da produtora Conteúdo Teatral e do Teatro Folha.

O elenco 

Ricardo Tozzi

o-ator-ricardo-tozzi

Estreou na televisão em 2006 na novela “Bang Bang”. Trabalhou nas novelas “Pé na Jaca” , “Caminho das índias”, “Amor à Vida”, “Geração Brasil”, “Insensato Coração” e atuou nos seriados “Malhação”, “S.O.S. Emergência” e “A Vida Alheia”. Em 2012 voltou às minisséries em “Dercy de Verdade” e despontou na telenovela “Cheias de Charme”, onde interpretou dois personagens: o motorista romântico Inácio e o cantor Fabian.

Estreou no teatro em 2008 na peça “A Proposta”, adaptação do texto Pedido de Casamento, de Anton Tchecov, com direção de Daniel Gaggini. Nos anos seguintes atuou nas peças “Colapso”, com texto e direção de Hamilton Vaz Pereira; “Hell”, com direção de Hector Babenco; “Enfim, Nós”, texto de Bruno Mazeo e direção Cláudio Torres Gonzaga; e “Electra”, com direção de João Fonseca.

Tania Khalill

TANIA-KHALILL-1

 Tem formação em Psicologia e balé clássico. Em 1995 estreou na peça “No Natal A Gente Vem te Buscar”, com texto de Naum Alves de Souza. Depois fez “Curta Comédia”, de Luís Fernando Veríssimo e direção de Wolf Maya; “O Mala”, de Larry Shue e direção de Isser Korik; “Grandes Pequeninos – O Show”, de Fábio Torres e direção de Isser Korik; “Vamos?”, de Mário Viana com direção de Otávio Martins.

Sua primeira novela foi “Sabor da Paixão”, em 2002, na TV Globo. Na mesma emissora atuou em seriados e novelas, como, “Cobras e Lagartos”, “Pé na Jaca”, “Guerra e Paz”, “Casos e Acasos”, “Acampamento de Férias 2”, “Senhora do Destino”, “Caminho das Índias”, “Fina Estampa”, “Salve Jorge” e “Joia Rara”.

Natallia Rodrigues

NatalliaRodrigues

 Aos quinze anos de idade começou a estudar no Teatro Escola Célia Helena. Também estudou na Escola de Arte Dramática (EAD) e formou-se em Publicidade pela Faap. Aos 21 anos conseguiu seu primeiro papel na novela “Desejos de Mulher”, da Rede Globo. Seu trabalho seguinte foi seriado “Malhação”. Em 2005 mudou-se para a Rede Record e atuou nas novelas “Essas Mulheres”, “Luz do Sol”, “Chamas da Vida” e no seriado “Alta Estação”.

De volta à TV Globo em 2012, trabalhou nas telenovelas “Insensato Coração”, “Gabriela”, “Amor à Vida” e “Verdades Secretas”.

No teatro atuou nas peças “Dores de Amores”, “Vamos?”, “O Divórcio”, “Caros Ouvintes” e acaba de estrear na peça “Sobre Ratos e Homens”.

Alex Gruli

Foto-Gruli-2

 Formado em Artes Cênicas pela Unicamp, estreou profissionalmente na Cia. Razões Inversas, dirigido por Marcio Aurelio, com quem montou “Édipo Rei” e “Fausto Zero”. Depois passou pelo Grupo XPTO, onde montou o espetáculo “Utopia – Terra de Dragões”. Alex é um dos atores fundadores da companhia “Os Fofos Encenam”, participando de seus quatro primeiros espetáculos: “Deus sabia de tudo e não fez nada”, “A Mulher do Trem”, “Assombrações do Recife Velho” e “Ferro em Brasa”.

Também atuou nas peças “O Nome”, sob direção de Denise Weinberg; “B – Encontros com Caio Fernando Abreu”, com direção de Francisco Medeiros; “Uma Pilha de Pratos na Cozinha”, com texto e direção de Mário Bortolotto; entre outras produções.

Pedro Henrique Moutinho

pedro henrique

Formado pelo Teatro-Escola Célia Helena, o ator já atuou em mais de vinte peças profissionais. Estreou no teatro profissional no ano 2000 no espetáculo “Rei Lear”, protagonizado por Raul Cortez. Com a direção de Nelson Baskerville atuou em “Os Que Tem a Hora Marcada”, de Elias Canetti. Atuou em três peças de Sergio Roveri: “O Encontro das Águas”, dirigido por Alberto Guzik; “Eclipse”, dirigido por Fábio Ock; e “Opus 12 para Vozes Humanas”,  dirigido por José Roberto Jardim.

Em cinco anos junto ao diretor Gabriel Villela atuou nos espetáculos “Salmo 91”, “Calígula”, “Vestido de Noiva” e “Crônica da Casa Assassinada”. Também trabalhou nas montagens “Tristão e Isolda”, de Vladmir Capella; “Divórcio!”, de Franz Kepler e direção de Otávio Martins; “Terra de Ninguém”, de Harold Pinter e direção de Roberto Alvim.

No cinema atuou em “O Signo da Cidade”, de Carlos Alberto Ricceli, e em “Meu amigo Hindu”, de Hector Babenco. Na televisão fez participação no humorístico “#partiushopping”, com Tom Cavalcante; na série “O Negócio”,  da HBO; e nas novelas “Carrossel” e “Chiquititas”, do SBT.

Guta Ruiz

guta-ruiz

Integrou a Companhia Satélite, de Dionisio Neto. Nela, atuou e produziu os espetáculos “A Casa de Bernarda Alba”, “Corações Partidos” e “Contemplação de Horizontes”. Também trabalhou nas peças “Timão de Atenas” e “Macbeth”, ambas de Shakespeare, “Play”, com texto de Rodrigo Nogueira; “Deus é um DJ”, de Falk Richter, com direção de Marcelo Rubens Paiva; entre outras produções.

Na TV, atuou nos seriados “Alice”, da HBO; “9MM”, da Fox; “Tô Frito”, da Band. Também trabalhou nas novelas “Passione” e “Joia Rara”, da TV Globo.

No cinema atuou nos filmes “Fim da Linha”, de Gustavo Steinberg; “Encarnação do Demônio”, de José Mojica Marins; “Nossa Vida Não Cabe Num Opala”, de Reinaldo Pinheiros; “Augustas”, de Francisco Cesar Filho; e “Bruna Surfistinha”, de Marcus Baldini. No momento a atriz se prepara para protagonizar o longa-metragem “Devassos” e está rodando os longas “Gostosas, Loucas e Sexies” e “Berenice Procura”.

FICHA TÉCNICA

Dramaturgia – Jeff Gould

Elenco – Ricardo Tozzi, Tania Khalill, Natallia Rodrigues, Alex Gruli, Guta Ruiz e Pedro Henrique Moutinho

Cenografia – Paula de Paoli

Assistente de Cenografia – Clau Carmo

Cenotécnico – Wagner José de Almeida

Serralheria – José da Hora

Figurinos – Luciano Ferrari

Produção de Figurinos – Elen Zamith

Costureira – Maria de Lourdes Oliveira

Fotografia – João Caldas

Coordenação de Produção – Isabel Gomez

Assistente de Produção – Felipe Costa

Estagiários – Gustavo  Thompon e Pedro Pó

Administração – Isabel Gomez e Felipe Costa

Assistentes de Direção – Thiago Ledier e Mariana São João

Assessoria Internacional – Claudio Erlichman

Tradução, Iluminação e Direção – Isser Korik

Realização – RDP Marketing Cultural / Conteúdo Teatral

 

Serviço:

 ”Jogo Aberto”

Local: Shopping Pátio Higienópolis – Av. Higienópolis, 618 / Terraço / tel.: (11) 3823-2323 – Televendas: (11) / 3823 2423 / 3823 2737 / 3823 2323 Site: www.teatrofolha.com.br

Estreia: 06 de maio

Temporada: até 31 de julho

Apresentações: sexta-feira, 21h30; sábado, às 20h e 22h; domingo; às 20h.

Ingresso: R$ 30,00 (setor 2) e R$50,00 (setor 1) às sextas-feiras e domingos; R$50,00 aos sábados (setor único) Valores referentes a ingressos inteiros. Meia-entrada disponível em todas as sessões e setores de acordo com a legislação.

 

Duração: 90 minutos

Classificação etária: 14 anos

 

TEATRO FOLHA

Vendas por telefone e internet/ Capacidade: 305 lugares / Não aceita cheques / Aceita os cartões de crédito: todos da Mastercard, Redecard, Visa, Visa Electron e Amex / Estudantes e pessoas com 60 anos ou mais têm os descontos legais / Clube Folha 50% desconto / Horário de funcionamento da bilheteria: de terça a quinta, das 15h às 21h; sexta, das 15h às 00h; sábado, das 12h às 00h; e domingo, das 12h às 19h / Acesso para cadeirantes / Ar-condicionado / Estacionamento do Shopping: R$ 14,00 (primeiras duas horas) / Venda de espetáculos para grupos e escolas: (11) 3104-4885 / 3113-3215 / 97628-4993 / Patrocínio: Folha de S.Paulo, CSN, Veloce, Brightstar, Nova Chevrolet e Grupo Pro Security. Apoio: Hotel George V.

 

Sem Comentários

Insira um Comentário

0Shares