Programa Brasileiro de Etiquetagem: Continental Pneus lança portal educativo

Programa Brasileiro de Etiquetagem: Continental Pneus lança portal educativo

ViewImage

Em outubro entrará em vigor o Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE) para o setor de pneus. A partir desta data, todos os pneus produzidos aqui ou importados para o mercado brasileiro deverão receber uma etiqueta do INMETRO atestando a sua eficiência em três critérios: resistência ao rolamento, aderência em piso molhado e emissão de ruídos.

Para auxiliar os consumidores e seus parceiros comerciais a compreenderem melhor a proposta e os ganhos proporcionados pelo PBE, a Continental Pneus está lançando um portal educativo reunindo as principais informações do Programa incluindo sua abrangência, os critérios de eficiência analisados, de que forma os testes são realizados e quais os seus benefícios.

“O PBE tornará mais fácil para o consumidor final comparar diferentes produtos e sua performance, pois ele terá acesso a informações padronizadas para apoiar a sua decisão de compra por um pneu desta ou daquela marca. O programa traz ainda impactos positivos no mercado como um todo ao incentivar a busca por uma maior eficiência energética e um maior nível de segurança e conforto. São três a cinco níveis de classificação, dependendo do quesito e um pneu bem ranqueado pode economizar até 7,5% em combustível, oferecer mais segurança com uma frenagem até 30% mais eficiente e apresentar um nível de ruído 75% menor”, avalia Eduardo Roveri, gerente de certificação da Continental Pneus  Mercosul.

Com 146 anos de tradição e expressivos investimentos realizados anualmente em pesquisa e desenvolvimento, a Continental Pneus está preparada para atender a todas as demandas do PBE e conduzirá os testes exigidos pelo INMETRO em sua pista Contidrom, em Hanover, na Alemanha, onde a companhia possui um dos oito únicos laboratórios em todo o mundo considerados referência para a realização de testes de resistência ao rolamento. Já os testes de aderência em piso molhado serão conduzidos no AIBA (Automated Indoor Breaking Analyzer), um espaço inovador para a realização de testes automatizadosa indoor de pneus carros de passeio, vans e veículos 4×4.

A etiqueta deverá ser aplicada em todos os pneus de construção radial comercializados no país para automóveis, picapes, utilitários esportivos, vans e caminhonetas, bem como nos de construção radial para caminhões e ônibus para os serviços Regional, Rodoviário, Urbano e Misto. Na íntegra da portaria estão determinadas as exceções.

Segundo Roveri, o programa de etiquetagem servirá ainda para estabelecer um nível mínimo de desempenho para pneus vendidos no mercado Brasileiro, uma vez que os produtos que não atingirem critérios mínimos não poderão ser comercializados no país. “A etiqueta será um ótimo indicador em relação a três características particulares envolvendo a performance de um pneu – a resistência ao rolamento, a aderência em piso molhado e o nível de ruído externo – mas é muito importante lembrar que o projeto de um pneu leva em conta muitos outras características de desempenho muito relevantes para o consumidor, tais como robustez, aderência, quilometragem e recapabilidade”, que podem ser tão importantes quanto as três listadas na etiqueta, dependendo do perfil de cada consumidor, complementa.

O Brasil será o quarto mercado mundial a ter um programa de etiquetagem de pneus. O Japão, em 2010, foi o primeiro país a adotar um programa com essas características, embora de forma facultativa, sendo seguido, no final de 2012, pela União Europeia e pela Coréia do Sul.

Uma diferença fundamental entre o modelo europeu e o adotado pelo Brasil é que na Europa a etiqueta atua apenas como uma indicação de orientação ao consumidor, havendo apenas a exigência que se supere um valor mínimo para cada performance, ao passo que o modelo brasileiro determina, além índices mínimos de desempenho, também penalidades severas para o não atendimento da performance declarada.

Os pneus produzidos ou importados até outubro de 2016 têm até abril de 2017 para serem enviados aos revendedores. O mercado, por sua vez, tem até abril de 2018 para comercializar os produtos sem etiqueta.

O portal educativo da Continental Pneus sobre o PBE está disponível no endereço www.etiquetapneu.com.br

 

Sem Comentários

Insira um Comentário