Mercado: crise não atinge a TMD/COBREQ

Mercado: crise não atinge a TMD/COBREQ

TMDFriction_Cobreq

A TMD Friction do Brasil conseguiu vencer a atual crise econômica que atinge os setores automotivo e de autopeças. A empresa fechou o primeiro semestre deste ano com crescimento de 13% na produção, aumento de 18% nas vendas para o mercado brasileiro e crescimento de 15% nas exportações.

A empresa pertence ao grupo japonês Nisshinbo e fabrica pastilhas e lonas de freio com a marca Cobreq para veículos leves e pesados, além de cubos de roda, discos de embreagem, cabos e pastilhas para motocicletas, A TMD não foi atingida pela crise que atualmente afeta quase toda a indústria brasileira.

Com sede em Indaiatuba (SP) e construindo uma nova planta em Salto, com investimento próprio do Grupo Nisshinbo de R$ 142 milhões, a TMD comemora o fechamento do primeiro semestre deste ano com bom desempenho.

WPA_4176

Marcoabel Moreira, diretor da TMD Friction do Brasil

Segundo o diretor presidente da TMD Friction do Brasill, Marcoabel Moreira, apesar do encolhimento do mercado de peças para as montadoras, “o mercado de reposição cresceu”. Disse, também, que a desvalorização do real favoreceu as exportações. Atualmente o faturamento para a reposição representa 75% do total da empresa”.

Marcoabel ainda projeta um crescimento superior 20% até 2020, já com a unidade de Salto totalmente pronta em seus 32.000 m² de área construída (a atual tem 18.000 m²), com novo ferramental e mais linhas de produção que vão gerar a capacidade de fabricar 13 milhões de peças anuais.

Marcoabel afirma ainda que a nova fábrica reforçará a atuação da TMD no segmento de motos. “De todas as plantas do Grupo Nisshinbo em diversos países, a operação no setor motociclístico do Brasil é a única. E esperamos fazer de Salto uma base produtiva do grupo para todo o segmento de duas rodas”.

 

Lellis Assessoria de Imprensa

Jornalista responsável: Marco Antonio Lellis – MTb 9.473/SP

 

 

Sem Comentários

Insira um Comentário