Gastronomia: 500 Anos da cachaça, o principal destilado nacional 

Gastronomia: 500 Anos da cachaça, o principal destilado nacional 

2604ebead566df5076bf494e20c6a25e4397

Um setor que impressiona. O Brasil atingiu em um único ano um faturamento de quase R$ 6 bilhões, quando foram produzidos mais de 500 milhões de litros de Cachaça. O país já contabiliza mais de 40 mil produtores alocados, principalmente, nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco, Ceará, Minas Gerais e Paraíba, sendo, 99%, do total, micro empresas. Apesar de exportar apenas 1% da produção, mais de 60 países já consomem o “ouro líquido brasileiro”.

E a grandiosidade não para por aí. A cachaça tem apresentado crescimento no mercado internacional, sendo o terceiro maior destilado do mundo. A bebida também ocupa posição de destaque no mercado nacional, no qual o volume corresponde a 50% no segmento de destilados. Além disso, é o segundo maior mercado de bebidas alcoólicas no Brasil, atrás apenas da cerveja.

E assim, com este panorama, que a Cachaça avança desbravando a sua nova era, trazendo uma mistura história de 500 anos unida à utilização de novas tecnologias e conceitos para a otimização da produção, objetivando fidelizar e conquistar cada vez mais novos apreciadores no Brasil e no mundo.

cachaca

A bebida evoluiu. Nos últimos 10 anos surgiram pesquisas científicas que fizeram com que os produtos melhorassem muito a qualidade. Por meio dos processos de fermentação se descobriram pontos importantes sobre a Cachaça. A higienização dos alambiques ganhou papel fundamental na produção por conta das leveduras, o que acarretou na baixa de acidez do produto, impactando diretamente na qualidade sensorial. Essa soma de fatores contribuiu para alavancar o mercado consumidor.

“São muitos fatores que podem interferir na qualidade da bebida, mas o principal é a higiene do alambique, que faz com que a fermentação ou destilação não sofra influência de nenhuma contaminação externa. Já o envelhecimento em madeira agrega bastante sabor e aroma à cachaça, mas isso não significa que “quanto mais tempo, melhor”. Cabe ao máster blender do alambique analisar a cachaça periodicamente a fim de definir o melhor dia para retirá-la do barril”, explica o CEO da Middas Cachaça, Leandro Dias.

Outro ponto fundamental é a promoção da educação do setor. Há tempos, não havia tantas pessoas treinando o mercado para a Cachaça. Por isso, as pessoas estão buscando mais qualidade do que preço baixo em relação ao produto, além de novas experiências sensoriais.

“Existe muita gente boa trabalhando para difundir os conceitos, qualidades e vantagens da cachaça. A maioria fazendo um trabalho por amor, gosto pelo produto e pela cultura e alguns por perceberem um mercado promissor nas áreas de consultoria, produção, venda, exportação, turismo e comunicação”, comenta o presidente da Confraria Paulista da Cachaça, Alexandre Bertin.

O especialista completa. “Felizmente agora já consigo encontrar ações determinadas para a valorização da bebida, como não preparar a caipirinha com outros destilados. Além disso, vejo cartas com drinks autorais com cachaça se expandindo para locais mais diversificados, como hotéis e outros estabelecimentos. Parece estranho, mas no Brasil, país da cachaça, nossas cartas (cardápios) nos bares e restaurantes têm maior diversidade de whiskys e de outros destilados do que do nosso destilado nacional. Mas isso vai mudar”.

* Dados:

ABRABE – Associação Brasileira de Bebidas  

SICOBE – Sistema de Controle da Produção de Bebidas da Receita Federal

IBRAC – Instituto Brasileiro da Cachaça

EMBRAPA – Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

Conheça as empresas que estão fazendo sucesso no mercado brasileiro:

 

Cachaça Seleta

seleta

A Seleta, maior produtora mundial de cachaça artesanal, acompanha e participa ativamente do crescimento e evolução desse mercado, afinal, são mais de 40 anos produzindo rótulos de qualidade, sabor e inspiração singulares. Mais informações: www.cachacaseleta.com.br.

“As características do clima, solo e localização geográfica favorecem o desenvolvimento de uma variedade de leveduras selvagens especiais, responsáveis pela qualidade e sabor das cachaças produzidas pela empresa. Em cada garrafa há um pedacinho do Brasil”, afirma Ednilson Machado, Diretor Comercial e de Marketing da Seleta.

Middas Cachaça

middas

A Middas tem como base o luxo contemporâneo e foco na elegância minimalista, levando em consideração uma nova experiência associada à viagem sensorial do apreciador. Para que isso seja possível, cuida de perto de todo o nosso processo produtivo, desde o corte da cana até o consumidor final. Um dos diferenciais está no ouro comestível 23 quilates que o apreciador poderá adicionar na cachaça. Mais informações: www.middascachaca.com.br.

Microdestilaria HOF

ca

A Microdestilaria Hof trabalha com um conceito contemporâneo de produção em escala reduzida, com criações de receitas originais, mantendo a harmonização das propriedades marcantes dos ingredientes e a destilação em alambiques de cobre do tipo Pot still. A nova Microdestilaria introduz no país o conceito “boutique”, que é um conceito contemporâneo de produção de bebidas alcoólicas de alto padrão em escala reduzida. A Cachaça Alma da Serra descansada em barris de carvalho americano foi Medalha de Ouro no Concours Mondial Bruxelles – Spirits Selection, em 2014, além de ter alcançado a quarta colocação no Concurso de Qualidade da Cachaça UNESP/Araraquara. Mais informações: www.microdestilariahof.com.br.

“Durante a trajetória da cachaça, podemos notar que a evolução da bebida teve reflexos diretos no perfil do consumidor. Antigamente, havia ocasiões específicas para apreciar cachaça. Hoje, temos a cachaça artesanal que está sendo consumida em diversos momentos, como aniversários, Happy Hour, ou até mesmo numa roda de amigos, da mesma forma que os demais destilados. Com isso, identificamos que a valorização da cachaça está ganhando força e de uma maneira cada vez mais positiva”, afirma Martin Braunholz, sócio-proprietário da MicrodestilariaHof.

Weber Haus

weber

A Weber Haus nasceu na cidade de Ivoti (RS) com a chegada de descendente de alemães. Foi em 1848 que a família deu início a fabricação de cachaça para consumo próprio e em 1948 foi construído o alambique. A marca está presente nos seguintes países: Estados Unidos, Alemanha, China, Irlanda, Canadá, Ilhas Bermudas, França, Japão, Itália, Suécia, Holanda e Dinamarca. Em território nacional a bebida se destaca nos estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e Paraná, sendo distribuída pela Mancini e Zanella Distribuidora. A cachaça é uma das mais premiadas do país (com 67 premiações) e a cachaça Extra Premium 6 Anos é envelhecida 5 anos em barris de carvalho francês e 1 ano em bálsamo – criando assim um sabor único e especial. Mais informações: http://www.weberhaus.com.br.

 

 

 

Sem Comentários

Insira um Comentário