Realatório traz o Raio-X dos transporte público nas pricipais cidades do Brasil

Realatório traz o Raio-X dos transporte público nas pricipais cidades do Brasil

O Moovit, aplicativo de transporte número 1 no mundo, revela nesta semana um levantamento exclusivo sobre o transporte público e o hábito de seus passageiros em dez cidades brasileiras. Trata-se do recorte local do Relatório do Transporte Público 2016, material que traz a primeira análise significativa de Big Data do setor a registrar milhões de viagens e trajetos nas mais diversas cidades no mundo. Com dados inéditos sobre mobilidade, como tempo de espera em pontos e estações, o estudo traça diversas tendências e comparações com um grande número de amostras, com o objetivo de organizar informações sobre o trânsito e auxiliar a sociedade e prefeituras.

“Estamos orgulhosos em poder compartilhar essa primeira amostra tão completa e localizada com os brasileiros. Extraímos dados da nossa comunidade de editores, composta por mais de 150 mil pessoas ao redor do mundo, além de uma base mundial de usuários com mais 50 milhões de passageiros. É muito bom quando a tecnologia e a colaboração se unem. Esse é o poder do Big Data, que queremos transformar em utilidade pública”, afirma Yovav Meydad, VP de Produtos e Marketing da Moovit, que veio ao Brasil para participar da quarta edição da Semana UITP América Latina, da União Internacional de Transporte Público (UITP), maior organização global dedicada a este setor de atividades.

Os dados, que cruzam informações de uso e respostas de uma pesquisa feita via aplicativo, compõem um retrato diversificado de como os brasileiros se deslocam em 10 grandes cidades e mostram resultados contrastantes entre eles. Foram consideradas informações referentes a tempo de espera, tempo total de viagem, percentual de passageiros que passam mais de duas horas em seu trajeto e números de baldeações nos seguintes centros urbanos: Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Curitiba, Fortaleza, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.

O relatório coincide com a marca de 100 cidades brasileiras já atendidas pelo aplicativo. No mundo, são mais de 1.200 cidades, em 75 países diferentes. De origem israelense, o Moovit completou seu primeiro ano de operação (2013) com 3 milhões de usuários ao redor do mundo. No ano seguinte, os usuários quadruplicaram, com 12,5 milhões utilizando o app e, no passado, ultrapassaram os 32 milhões. O Moovit chegou a 52 milhões de usuários no final de 2016, considerando uma média de 2 milhões de downloads do app por mês.

Tendo o Brasil como um dos principais mercados do Moovit no mundo, a empresa quer agora repetir esse sucesso em outros países da América Latina. Por isso acaba de contratar o executivo Juan Palacio, que responderá como diretor regional para Latam. Sua missão será liderar o crescimento na Argentina, Chile, Colômbia, México, Peru e Uruguai. No Brasil, o country manager Pedro Palhares continua como líder no país.

Duração das viagens

Considerando que a geografia do local, o tamanho da população e a infraestrutura do transporte público são fatores que impactam no trânsito, é natural que o tempo de deslocamento casa-trabalho sempre varie de uma cidade para outra. Por isso, o estudo procurou primeiramente entender quanto tempo os passageiros passam se deslocando, todo dia, usando ônibus, trem, metrô, VLT ou BRT para fazer esse trajeto.

Enquanto Curitiba comprova a fama de “cidade modelo” em mobilidade no país, com tempo médio de viagem de 72 minutos (considerando ida e volta do trabalho), em Recife e Brasília essa média sobe para 96 minutos, sendo o maior tempo do ranking brasileiro. É na capital pernambucana, aliás, que está o maior percentual (34%) dos que levam mais de duas horas para fazer esse trajeto diariamente. Em Curitiba, essa participação não é nula, mas está bem abaixo: 21% dos que responderam levam mais de 120 minutos para ir e voltar do trabalho todos os dias.

A seguir, os dados da duração média dos deslocamentos diários no transporte público em dias úteis (considerando ida e volta) :

Recife 96 minutos

Brasília 96 minutos

Rio de Janeiro 95 minutos

Salvador 94 minutos

São Paulo 93 minutos

Fortaleza 89 minutos

Belo Horizonte 85 minutos

Campinas 77 minutos

Porto Alegre 74 minutos

Curitiba 72 minutos

Tempo de espera em paradas e estações

A cidade pior colocada no ranking que mediu o tempo de espera em pontos e estações é Salvador, com média de 33 minutos. Com uma distribuição bastante específica, a capital federal vem logo depois, registrando média de espera diária de 28 minutos. Onde menos se espera? Pelo menos entre as dez analisadas, Rio e Curitiba são as que melhor performaram nesse quesito, com média de 19 e 17 minutos, respectivamente.

Aqui estão os dados do tempo médio de espera nas cidades brasileiras pesquisadas:

Salvador 33 minutos

Brasília 28 minutos

Recife 27 minutos

Fortaleza 24 minutos

Campinas 23 minutos

Belo Horizonte 23 minutos

Porto Alegre 20 minutos

São Paulo 19 minutos

Rio de Janeiro 19 minutos

Curitiba 17 minutos

Distância média das viagens

Nas cidades pesquisadas, as distâncias percorridas durante um trajeto feito pelo Moovit (via ônibus, trem, metrô ou outro transporte público) giram em torno de 7 a 15 Km. Entre as capitais, Brasília é a que tem a maior distância (15 Km) média percorrida e também o maior percentual (50%) de pessoas que percorrem mais de 12 Km por trajeto.

A capital mineira, que vinha tímida e bem colocada nos outros quesitos, aqui aparece na terceira posição, ao lado de Recife e logo depois do Rio de Janeiro, com distância média de 9 Km por dia. O curioso é que São Paulo, que apresentava uma das distâncias médias de viagem mais baixas em comparação com as outras cidades ao redor do mundo, no ranking global (clique para ver a lista das cidades no mundo), aqui não está muito atrás da líder.

A seguir, as distâncias médias percorridas por trajeto (em dia útil) em cada uma das cidades brasileiras.

(Brasil)

Brasília 15 Km

Rio de Janeiro 12 Km

Belo Horizonte 9 Km

Recife 9 Km

Campinas 8 Km

Salvador 8 Km

São Paulo 8 Km

Curitiba 7 Km

Fortaleza 7 Km

Porto Alegre 7 Km

Baldeações por trajeto

Quanto maior a cidade, maior a possibilidade de fazer combinações (de meios ou de linhas) para se chegar mais rápido ao destino. E quanto maior a chance de “encurtar ou “agilizar” a rota, mais as pessoas estão propensas a fazer essas trocas.

Com isso, o percentual de pessoas que fazem algum tipo de baldeação pelo menos uma vez durante o trajeto é bem alto em São Paulo, assim como em Fortaleza (66%) e no Rio de Janeiro (62%).  São Paulo, aliás, também é líder no ranking dos que mais fazem pelo menos duas baldeações por dia (25%).

Já Porto Alegre é a que possui o maior número de viajantes diretas – ela registrou o menor percentual de baldeações, com 50% dos respondentes afirmando pegarem pelo menos uma no trajeto.

São Paulo 66%

Fortaleza 66%

Rio de Janeiro 62%

Brasília 61%

Curitiba 61%

Salvador 59%

Campinas 58%

Recife 56%

Belo Horizonte 53%

Porto Alegre 50%

Para conferir o relatório completo, clique aqui.

 

Sem Comentários

Insira um Comentário