Literatura: como ficou o Drácula depois de 120 anos?

Literatura: como ficou o Drácula depois de 120 anos?

O romance mais aterrorizante da história de todos os clássicos, o vampiro mais querido de todo o mundo e, claro, um dos primeiros vilões que ganhou a torcida de todos, o Drácula, comemora 120 anos.

Para celebrar esta data, o selo Via Leitura, da Edipro, faz um projeto gráfico incrível e tradução de arrancar suspiros.

O clássico de 1897, escrito por Bram Stocker, foi o grande propulsor do conceito moderno de vampiros e, rapidamente, desbancou todas as outras obras de autores góticos consagrados na época, como Edgar Allan Poe.

Mesmo que não tenha sido o primeiro do gênero, Drácula, conhecido mundialmente, é o mais respeitado romance sobre vampiros da história da literatura.

“Bem-vindo à minha casa. Venha livremente. Vá em segurança; e deixe um pouco da felicidade que você traz!”

Na obra, Conde Drácula, personagem principal, é um tanto peculiar e deixa Jonathan Harker, seu hóspede, intrigado. Neste momento nasce, pela pena de Stocker, a mais célebre encarnação dos demoníacos strigoi, os vampiros que habitam o imaginário de tantos povos há séculos.

Junto ao vampiro mais lido no mundo e seu hóspede, também ganha vida o bravo nêmesis, Van Helsing, e a doce Mina, com todo seu sofrimento. Esses personagens compõem uma história cercada dos mistérios de uma terra envolta em brumas e superstições, que encantam leitores incautos desta obra magnífica.

Conde Drácula é comumente associado à figura de Vlad Tepes, ou Vlad, o Empalador, príncipe da Valáquia do século XV, que passou à história pela sua crueldade e sadismo, mas também pela sua luta contra a expansão islâmica na Europa. Vlad Tepes é celebrado como um herói popular até hoje na Romênia e na Moldávia.

Convidamos o leitor a apreciar esta nova edição de Drácula. Venha livremente e tente ficar em segurança.

O autor:

Bram Stoker (1847- 1912) escreveu seu primeiro ensaio aos 16 anos, em Dublin (Irlanda), e acabaria se tornando um crítico teatral não remunerado na juventude. Foi apenas aos 29 anos, após mudar-se com a esposa para Londres, que iniciou as suas primeiras experimentações na ficção, produzindo textos deste e de outros gêneros para o jornal londrino Daily Telegraph. Após muitos anos de pesquisa do folclore do leste europeu e da mitologia dos vampiros, escreveu a maior obra de sua carreira, Drácula, que definiu para sempre o estereótipo do vampiro moderno, que carregamos até hoje. Faleceu em Londres, após uma série de derrames cerebrais. Suas cinzas repousam no crematório de Golders Green, na capital inglesa.

 

Sem Comentários

Insira um Comentário