Avaliação: Novo Renault Captur é uma boa opção do mercado

Avaliação: Novo Renault Captur é uma boa opção do mercado

O Renault Captur brasileiro já está sendo fabricado no Complexo Ayrton Senna, no Paraná. Lançado no início deste ano, o SUV começa a cair no gosto do público brasileiro. O acumulado de suas vendas – dados da FENABRAVE – são de 1.784 unidades comercializadas. Ou seja, cerca de 990 unidades mensais.

As linhas do novo Captur seguem a nova identidade visual da Renault e são assinadas pelo Technocentre da Renault, na França, em parceria com o Renault Design América Latina (RDAL), o único estúdio de desenho e estilo da marca no continente americano, localizado em São Paulo.

As dimensões do Novo Renault Captur são compactas: 4.330 mm de comprimento; 1.810 mm de largura; 1.620 mm de altura; 2.670 mm de distância entre-eixos; 212 mm de vão livre do solo; 708 mm de posição de direção (Ponto H) ; ângulo de entrada de 23°;  ângulo de saída de 31°. O porta-malas tem capacidade para 437 litros.

No quesito design, destaque para a pintura biton, ou seja, a possibilidade de ter o teto em uma cor diferente do restante do veículo. “O design do Captur mistura elegância e linhas bem marcadas. A pintura biton garante um efeito harmônico e traz o grande barato da personalização. O desenho do Captur reflete a nova identidade da marca”, afirma Vincent Pedretti, chefe de design do RDAL – Renault Design América Latina.

 

A dianteira traz luzes diurnas de LED, no formato de “C” ao redor dos faróis de neblina, que alongam a grade inferior, transmitem elegância. Os faróis são modernos e têm desenho fluído, enquanto o capô tem dois vincos bem marcados.

Na lateral, há um grafismo cromado na parte inferior das portas, acompanhando a linha de cintura elevada. O SUV chama atenção pelas linhas fluidas e lateral esculpida, além dos músculos formados pela carroceria acima do para-lama traseiro. As rodas de 17’’, disponíveis com dois desenhos, integram o conjunto em perfeita harmonia.  A traseira traz lanternas de LEDS, ponteira do escapamento cromada e um friso cromado abaixo do porta-malas que percorre quase toda a extensão do para-choque, dando a impressão de que o Captur é um modelo ainda mais largo.

O Renault Captur estreia um novo quadro de instrumentos. Com ótima leitura e desenho moderno, o quadro associa um velocímetro digital e displays em formato de meia-lua de cada lado. O computador de bordo digital é visualizado logo acima do conjunto.  O interior ainda pode receber o acabamento em dois tons, dependendo da versão.

Com alta oferta de conectividade, o Captur possui o MEDIA Nav disponível em todas as suas versões. De forma intuitiva e com no máximo 4 cliques, o consumidor acessa e configura qualquer funcionalidade da central multimídia, através da tela touchscreen de 7”, que possui: GPS integrado, Bluetooth®, câmera de ré, eco-scoring e eco-coaching. Além de todas estas funções, o sistema é integrado com o comando satélite que possibilita ao motorista acessar tudo sem tirar as mãos do volante.

O SUV traz chave cartão que possibilita a ignição simplesmente com a presença do cartão no interior do veículo. Já a abertura e o travamento das portas e do porta-malas acontecem por aproximação ou afastamento, sem necessidade de tocar no cartão.  O SUV oferece também uma opção de condução mais confortável e segura: toda a gama inclui de série o controle de velocidade de cruzeiro (cruise control), que atua conjuntamente com o limitador de velocidade. O sistema é ideal ao conduzir por uma zona de velocidade controlada.

O Renault Captur avaliado por Super Top Motor é equipado com o motor 2.0 16V (148 cv) – em breve traremos a avaliação com o recém-lançado 1.6 SCe (120 cv) e câmbio manual – quando abastecido com etanol e 143 cv a 5.750 rpm quando abastecido com gasolina. A oferta de torque é de 20,9 kgfm a 4.000 rpm, quando abastecido com etanol, e 20,2 kgfm a 4.000 rpm com gasolina. A caixa de câmbio é a automática.

O Captur traz em todas as versões o sistema Energy Smart Management (ESM) de regeneração de energia, solução da Fórmula 1 que ganha as ruas nos carros da Renault. Durante a desaceleração do carro, quando o motorista retira o pé do acelerador, o motor continua girando sem consumir combustível. Nesse momento, o alternador automaticamente passa a recuperar energia e enviá-la para a bateria, que aumenta sua carga sem consumo de combustível. Durante a aceleração, o alternador não precisa “roubar” energia do motor para enviar à bateria, já que houve a carga na desaceleração.

Nossa avaliação, como sempre, foi na cidade e estrada e sentimos que o Renault Captur oferece economia e prazer ao dirigir. Porém, a economia ainda deve ser melhorada com a chegada do novo câmbio automático que a marca francesa promete para breve. Freios seguros e sensação de segurança na condução. O do Novo Renault Captur  é R$ 88.490 reais.

 

Fotos: Edu Nabuco

 

Sem Comentários

Insira um Comentário