Tesla se torna a marca automotiva de crescimento mais rápido do mundo

Tesla se torna a marca automotiva de crescimento mais rápido do mundo

 

A Tesla é a marca automotiva de crescimento mais rápido, aumentando + 32% para US $ 5,9 bilhões, de acordo com o ranking 2017 BrandZ™ Top 100 Marcas Mais Valiosas do Mundo, lançado pela WPP e Kantar Millward Brown. O crescimento dessa marca se deve ao fato que os automóveis começam a posicionar-se como um objeto inovador, mas, ao mesmo tempo, de luxo, que oferece um excelente desempenho sem prejudicar o meio ambiente.

A Toyota continua a ser a marca de automóveis global mais valiosa. A empresa registrou uma queda de -3% no valor da marca, para US $ 28,7 bilhões, com o aumento das vendas compensado por desafios da modernidade, bem como pelo aumento do investimento e dos custos de mão de obra.

A BMW (US$24,6 bilhões) e a Mercedes-Benz (US$23,5 bilhões) completam as top 3 marcas automotivas mais fortes, com a Ford subindo uma posição e ocupando o quarto lugar com um valor de marca de US$13,1 bilhões.

Em um ano de sucesso em termos de venda, o valor total das 10 marcas de carro mais valiosas se manteve no patamar dos US$139,2 bilhões, comparado com a queda de -3% no último ano. No período, a inovação tem sido um tema forte para muitas marcas este ano, que estão buscando desenvolver soluções para os inúmeros desafios que enfrentam, incluindo as novas formas de propriedade e a melhor conectividade de seus veículos.

O nível de desempenho do setor reflete o fato de que, enquanto as vendas crescem em mercados-chave – tanto a China quando os EUA registram recorde em vendas – os descontos exigidos para serem competitivos reduziram as margens entre as principais marcas. Em contraste, as marcas de luxo evitaram a pressão dos preços e por isso representam agora 52% das Top 10 marcas de carros mais valiosas, comparado aos 36% que representavam em 2016, quando foi lançado o BrandZ Top 100.

Ao ser uma das maiores e mais efetivas plataformas de construção de marca do mundo, o ranking BrandZ reflete as marcas que estão integradas no estilo de vida do consumidor atual. Este é o único estudo de avaliação de marcas que combina entrevistas com mais de 3 milhões de consumidores globalmente, análise de resultados financeiros e análise de performance de cada empresa (usando dados da Bloomberg e da Kantar Worldpanel).

A Mercedes-Benz, crescendo +4%, foi a que teve melhor desempenho entre as 7 primeiras colocadas no ranking, enquanto o movimento mais significativo ficou mesmo entre as últimas posições deste top10.

Adicionalmente ao sucesso da Tesla, LandRover (no.9) e Porsche (no.10) também cresceram bastante, +17% e +16% para US$5,5 bilhões e US$5,1 bilhões respectivamente. LandRover aproveitou a crescente demanda por SUVs, enquanto Porsche construiu sua popularidade em mercados importantes da Ásia, como Taiwan, Cingapura, Malásia, Tailândia e Filipinas.

“O negócio da indústria automotiva está antecipando mudanças rápidas, e muitas marcas já estão se preparando para atuar em novos canais de vendas, mudanças no formato de propriedade demarca e a chegada de carros mais conectados e autônomos”, comentou Peter Walshe, Diretor de Estratégia do BrandZ Global na Kantar Millward Brown. “As pressões financeiras para entregar as vendas ao mesmo tempo em que investem e antecipam o futuro, estão colocando marcas estabelecidas sob grande pressão e criando espaço para que os recém-chegados, como a Tesla, avancem. Marcas fortes não só ajudam os grupos automotivos a aumentar as receitas existentes, mas também incentivam os consumidores a se manterem fiéis a elas, já que o veículo que eles conduzem muda fundamentalmente”.

The BrandZ Top 10 Marcas de Carros Mais Valiosas 2017

Rank 2017 Brand Brand value 2017 ($M) Brand value change Rank 2016 Rank in global Top 100
1 Toyota 28,660 -3% 1 30
2 BMW 24,559 -8% 2 35
3 Mercedes-Benz 23,513 +4% 3 40
4 Ford 13,065 0% 5 83
5 Honda 12,163 -8% 4 91
6 Nissan 11,341 -1% 6 100
7 Audi 9,393 -1% 7
8 Tesla 5,876 +32% 10
9 Land Rover 5,534 +17% 8
10 Porsche 5,141 +16% 9

Muitas marcas de carros já fizeram investimentos substanciais em carros autônomos e têm grande capacidade, especialmente nos modos de direção “sem as mãos (hands-off)” ou “sem os pés (feet off)”, com recursos já disponíveis, incluindo a tecnologia “lane-keeping” (mantendo-se na faixa – em tradução livre).

Elas também estão fazendo avanços em relação à conectividade. Tanto a BMW quanto a Nissan têm planos para integrar a tecnologia de assistente digital da Plataforma de Veículos Conectados da Microsoft. E a Toyota licenciou patentes da Microsoft para sua computação em nuvem Azure.

Muitos fabricantes de automóveis também estão trabalhando para se integrar com os ecossistemas de tecnologia. BMW e Ford estão trabalhando com a Amazon, por exemplo. Usando o Alexa da Amazon, os motoristas de alguns modelos BMW podem realizar determinadas verificações do motor usando controles de voz, mesmo de casa. A Ford planeja habilitar o sistema Sync para responder aos comandos de voz do Echo da Amazon.

As principais marcas de automóveis também estão experimentando novas soluções de mobilidade para quando os consumidores desejam o acesso e não a propriedade do veículo. A Mercedes lançou uma rede de tipo Airbnb que permite que os membros aluguem sua Mercedes para outros usuários. Audi está testando um programa de aluguel chamado Audi on Demand. Os membros escolhem o modelo de Audi que combina com a ocasião – fazer compras, jantar ou simplesmente querer dirigir – e um concierge entrega e busca o veículo.

A Ford comprou o serviço americano de transporte compartilhado chamado Chariot. Em Amsterdã, as empresas de serviços de compartilhamento de carro estão levando pessoas em carros Tesla.

Tudo isso é preparação para a batalha principal, a chegada de carros verdadeiramente autônomos. Aqui, o conjunto competitivo expandiu-se com Alphabet, Apple e Samsung, todos investindo fortemente. Alphabet renomeou sua empresa de automóveis autônomos Waymo e está executando uma grande prova de seus veículos em Phoenix, Arizona, enquanto a Apple recebeu uma licença permitindo testar carros autônomos na Califórnia e a Samsung foi aprovada para executar testes de seus carros em estradas públicas na Coréia do Sul.

Quando e onde os carros autônomos entram no mercado convencional, no entanto, dependerá tanto da legislação como da capacidade das marcas de tecnologia mais inteligentes do mundo, para que o software funcione com segurança.

As tendências que se destacam no ranking BrandZ Global Top 100 deste ano incluem:

  • A Amazon é hoje uma das 5 marcas mais valiosas do mundo. Ela subiu para a quarta posição no Top 100 depois de aumentar + 41% no valor da marca para US $ 139,3 bilhões. O gigante do varejo continuou a se concentrar em seu ecossistema tecnológico aprimorado para atender às múltiplas necessidades dos consumidores, bem como na introdução de novos serviços habilitados para inteligência artificial, incluindo entrega de suprimentos e assistente pessoal Alexa.
  • A Google, a Apple e a Microsoft mantêm as três principais posições, aumentando o valor da marca em + 7% para US $ 245,6 bilhões, + 3% para US $ 234,7 bilhões e + 18% para US $ 143,2 bilhões, respectivamente, durante o ano passado, enquanto o Facebook, no 5º lugar, cresceu + 27% para US $ 129,8 bilhões.
  • As marcas fortes continuam a superar os seus concorrentes. Em comparação com os principais benchmarks nos últimos 12 anos, o portfólio de marcas BrandZ Top 100 cresceu 50% mais em valor do que o S&P 500 e 3,5 vezes mais que o MSCI All Country World Index.
  • Os ecossistemas de tecnologia centrados no consumidor tornam as marcas indispensáveis. Os consumidores podem cada vez mais realizar uma série de atividades, desde compras online até assistir a televisão, sob a bandeira de uma marca e em vários dispositivos. Esta conveniência também permite que as marcas mais ponderosas minimizem o risco de mudança dos consumidores.
  • As novas marcas estão cada vez mais globais, permitindo-lhes crescer rapidamente. A tecnologia permite que as empresas apresentem suas ofertas globalmente desde o primeiro dia. Isto está promovendo uma nova geração de empreendedores, que não está restrita pelos limites geográficos ou setoriais que tradicionalmente limitaram a velocidade e a escala de crescimento.
  • Empresas tradicionais não tecnológicas estão adotando a tecnologia para inovar e aumentar o apelo para consumidores. A rápida Adidas introduziu a impressão 3D para produzir seus calçados, por exemplo, enquanto a marca de fast food Domino´s Pizza oferece aos clientes um rastreador de pedidos em tempo real.
  • As BrandZ Top 100 estão mais jovens. A atual média de idade das marcas é 67 anos, comparado com os 84 anos em 2006, refletindo a entrada de novas marcas de tecnologia e marcas chinesas emergentes.
  • Marcas que deixam claro como melhorarão a vida de seus consumidores. Huawei e Toyota cresceram em média três vezes mais nos últimos 12 anos (o top thirdcresceu +170% comparado ao bottom third que foi de 57%).
  • Uma boa comunicação coloca as marcas na dianteira. top thirdcom comunicações mais fortes (incluindo McDonald’s e L’Oréal Paris) aumentaram 196% em valor, comparado com 47% para o bottom third. Isso ocorreu, pois elas amplificaram com sucesso a diferença que elas criaram.

O relatório e ranking BrandZ Top 100 Marcas Globais Mais Valiosas, e uma grande quantidade de informações das marcas em regiões-chave do mundo e 14 setores de mercado, estão disponíveis online aqui. O relatório global, rankings, gráficos, e artigos podem também ser encontrados no app BrandZ que contém os mesmos recursos e funcionalidade para os relatórios regionais e seu download é gratuito para Apple IOS e todos os aparelhos Android devices no www.brandz.com/mobile ou procure por BrandZ nas lojas do iTunes ou Google Play.

 

Sem Comentários

Insira um Comentário