Novidade: tecnologia ajuda a formar motoristas em SP, RJ e MG

Novidade: tecnologia ajuda a formar motoristas em SP, RJ e MG

Formação adequada, tendo ferramentas tecnológicas e trilhas de aprendizagem com foco na verdadeira preparação para a realidade das ruas. São esses alguns dos pontos a serem observados para aqueles que pretendem dirigir pelas cidades da região sudeste do Brasil. De acordo com o Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV), mais de uma morte por hora é registrada em ocorrências de trânsito nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo. A pesquisa do ONSV baseia-se nas informações do Ministério da Saúde no ano de 2015, quando 12.908 pessoas perderam a vida nessas localidades, sendo mais de 35 por dia.

Na tentativa de reduzir essa estatística e melhorar a formação do condutor, a tecnologia vem sendo o caminho. Possibilitar que o candidato a motorista vivencie situações extremas ao volante, como dirigir em dias de chuva forte e neblina, por exemplo, é a colaboração que o simulador de direção veicular traz ao processo, conforme destaca a especialista em segurança e educação no trânsito, Roberta Torres. “É o caminho para contar com condutores mais capacitados e, consequentemente, reduzir os indicadores da violência no trânsito”.

No sudeste, por exemplo, mais de 1,4 milhão de candidatos à Carteira Nacional de Habilitação (CNH) já passaram pelo simulador, sendo aplicadas cerca de 8 milhões de aulas. As informações são da ProSimulador, uma das empresas desenvolvedoras da ferramenta no país. Ainda segundo a companhia, são 728 municípios atendidos em São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, contabilizando mais de 2,5 mil equipamentos instalados.

Além disso, há 86 centros de compartilhamento, nos quais um mesmo simulador está à disposição de candidatos de diferentes CFCs. Essa é a uma maneira de viabilizar o atendimento ao público por parte dos estabelecimentos menores. Em Minas Gerais, há 39 desses pontos de compartilhamento, enquanto outros 47 estão instalados no Rio de Janeiro.

 

Sem Comentários

Insira um Comentário

0Shares