Fórmula 1: equipes questionam sobre possível tecnologia da Mercedes-Benz

Fórmula 1: equipes questionam sobre possível tecnologia da Mercedes-Benz

RBR quer que FIA verifique o tal “modo treino” da equipe alemã

A Fórmula 1 é cheia de mimimi. O mais recente deles está ligado a equipe Mercedes-Benz, atual campeã da categoria. E o campeão Lewis Hamilton defende a equipe dizendo que após conquistar a pole-position para o GP da Austrália que a equipe não dispõe de um “botão extra” ou “modo festa” (do inglês “party mode”) que deixa o desempenho do motor do W09 inalcançável pelos carros adversários.

Ou seja, o piloto inglês negou que os Mercedes utilizem um modo especial do motor na fase decisiva qualificação – que depois já não utilizam na corrida devido às consequências para a confiabilidade do carro e do motor.

Mas as outras equipes continuam a não comprar as garantias da Mercedes e o diretor da RBR propõe que os carros sejam mantidos em Parque Fechado também no que respeita ao mapeamento dos motores – como acontece com a configuração dos carros. “Como há o Parque Fechado quando os carros partem para a qualificação, talvez os modos dos motores devam ser da mesma forma a partir do momento em que se sai da garagem até ao final o GP”, afirmou Christian Horner em entrevista ao site F1i.com.

O diretor RBR está convicto de que esse “modo extra” existe e explica como funciona: “O tempo do Lewis aconteceu predominantemente entre a Q2 e a Q3. Eles têm um modo de qualificação que não precisam de usar na primeira parte da qualificação, pois, porquê forçar o motor?”

 

Sem Comentários

Insira um Comentário