Serviço: 10 mandamentos para o bom desempenho dos pneus nas viagens

Serviço: 10 mandamentos para o bom desempenho dos pneus nas viagens

 

Dicas ajudam a aproveitar toda a vida útil dos pneumáticos e trazem maior segurança ao motorista e aos passageiros 

Páscoa está aí e… bora pegar uma estrada e viajar! Mas lembre-se:, é fundamental prestar atenção aos cuidados com os pneus antes de viajar. Principal elo entre o veículo e o solo, eles exercem influência direta em todo o comportamento dinâmico de um carro e suas boas condições proporcionam o aproveitamento total dos sistemas de suspensão, transmissão, tração, direção e frenagem, trazendo assim maior segurança ao motorista e aos passageiros.

Para ajudar os motoristas com ações preventivas e dicas de cuidados, a Bridgestone, maior fabricante de pneus do mundo, elaborou os 10 mandamentos para o bom desempenho do pneu.

“Além da revisão, é necessário que todo o conjunto pneu-veículo-motorista atue em harmonia”, comenta José Carlos Quadrelli, gerente geral de Engenharia de Vendas da Bridgestone. “Não adianta colocar pneus novos, se a suspensão e outras partes do veículo não estiverem em bom estado. Da mesma forma, de nada adianta viajar com um veículo zero, com pneus novos, se o motorista não tomar os cuidados básicos da direção segura, evitando o choque dos pneus em lombadas, guias ou buracos, ou se acelera e freia bruscamente. Dirigir com cuidado e responsabilidade é um dos procedimentos para se utilizar o pneu de forma inteligente.”

Os 10 mandamentos para o bom desempenho do pneu:

  1. Calibrar os pneus semanalmente de acordo com a indicação do manual do fabricante do veículo.
  2. Fazer o rodízio dos pneus: Veículos com pneus radiais a cada oito mil quilômetros rodados e veículos com pneus diagonais a cada cinco mil quilômetros.
  3. Evitar sobrecarga no veículo: Excesso de peso compromete a estrutura do pneu e aumenta o risco de danos ou de alterações estruturais.
  4. Fazer a manutenção preventiva de todo o veículo: Amortecedores, molas, freios, rolamentos, eixos e rodas atuam diretamente sobre os pneus.
  5. Utilizar as medidas de pneus e rodas indicadas pelo fabricante do veículo. As partes do carro foram projetadas para interagirem de forma equilibrada. A utilização de pneus e rodas diferentes altera este equilíbrio.
  6. Alinhar a suspensão e balancear os pneus sempre que o veículo sofrer impactos fortes, na troca de pneus, quando os pneus apresentarem desgastes irregulares, ao serem substituídos componentes da suspensão, quando o veículo estiver “puxando” para um lado ou a cada dez mil quilômetros.
  7. Utilizar o pneu indicado para cada tipo de solo. Rodar na cidade com um pneu destinado ao uso em terra (fora de estrada) provocará perdas no consumo de combustível, na estabilidade e na durabilidade das peças do veículo.
  8. Observar periodicamente o indicador de desgaste da rodagem (TWI). Este indicador, existente em todo pneu, mostra o momento certo para se efetuar a troca, reduzindo o risco de rodar com o pneu careca. O limite de profundidade do sulco do pneu é de 1,6 milímetro.
  9. Não permitir o contato do pneu com derivados de petróleo ou solventes. Estes produtos atacam a borracha fazendo com que ela perca suas propriedades físico-químicas e mecânicas.
  10. Evitar a direção agressiva, com freadas fortes e mudanças bruscas de direção. Nunca ignore a existência de lombadas, buracos e imperfeições de piso.

 

Sem Comentários

Insira um Comentário