Musas da Pirelli

Musas da Pirelli

Escrito por: 

01/12/2015

Criado em 1963, o Calendário Pirelli ganhou fama por estampar em suas páginas mulheres desinibidas em lugares bacanas, clicadas por ícones da fotografia. A primeira edição, por exemplo, contou com a expertise de Terence Donavan, que eternizou as modelos em Londres. No ano seguinte foi a vez de Robert Freeman – que capturou momentos históricos dos Beatles –, desembarcar em Mallorca, na Espanha, para fotografar a dupla Jane Lumb e Sonny Drane.

1964 - 1987

 

O tom sensual da folhinha virou hit entre os borracheiros brasileiros, e logo tomou as paredes das oficinas como espécie de obra de arte. E olha que durante a década de 1960 a postura conservadora da sociedade só permitia um decote mais atrevido aqui e outro acolá.

 

1985-1989

 

Em 1967, o calendário não circulou por conta de uma crise financeira da empresa italiana de pneus. No ano seguinte, para sacudir o universo da graxa, ele voltou ainda mais malicioso sob a batuta de Harry Peccinotti, dando pinta que o nu estava prestes a ser revelado – era 1971, e as lentes de Francis Giacobetti foram as responsáveis por tal façanha. 365 dias depois, Sarah Moon foi escalada para transformar as belas em tipos batizados de “pin-ups dominatrix”.

 

1995-1997

 

No ápice do fetiche, a Pirelli suspendeu a publicação, que permaneceu engavetada de 1975 a 1983 – período em que pipocou versões nacionais feitas por jornais populares. O retorno aconteceu nas Bahamas, onde Uwe Ommer preferiu dar destaque às bundas e aos peitos para sepultar a concorrência – mas nem pense que a predileção pelas formas voluptuosas tirou o charme do projeto, ao contrário, fez nascer ali um gosto pelo colecionismo; e o material acabou em casas chiques e galerias renomadas. Por sinal, a partir de 1985, as tops mais bombadas do mercado debutaram no almanaque, sendo a somali Iman a primeira a dar o ar da graça. Depois vieram Naomi Campbell (que posou aos 16 anos!), Julianne Davis, Cindy Crawford, Kate Moss, Eva Herzigova, Monica Belucci, Patricia Arquette, Daryl Hanna, Milla Jovovich, Laetitia Costa, Gisele Bündchen, Alessandra Ambrosio, Isabeli Fontana, Jennifer Lopez, Sophia Loren e uma legião de beldades.

 

1990-2002

Mesmo que a tríade seja quase imbatível – mulheres lindas, fotógrafos experientes e destinos maravilhosos –, as borracharias tiveram um papel fundamental neste sucesso (ah, se as paredes falassem…). Mas como nem tudo são louros, as fotos deixaram de circular em versão calendário, o que fez milhares de órfãos mundo afora.

 

 

2003-2006

 

Sem a necessidade de agradar aos machões, a empresa focou as imagens em personalidades, incluindo em seu rol nomes como Bono Vox, B.B. King e John Malkovich. E a renovação deu tão certo que a Pirelli não desgrudou mais os olhos do protagonismo da história. Na edição de 2016, o elenco convocado é diferente das gostosonas de sempre: de Yoko Ono a Patti Smith, passando pela comediante Amy Schumer (que fez questão de tirar a roupa), o discurso agora é mostrar ao público que mulheres poderosas são mais excitantes do que as bem torneadas divas. Será que os velhos mecânicos aprovariam as mudanças?

 

2007-2016

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sem Comentários

Insira um Comentário