Crise na Fórmula 1

Crise na Fórmula 1

Liberty Media, FIA e promotores brigam pelo futuro da categoria

A Associação dos Promotores da Fórmula 1 não está nada contente com o caminho que a categoria está a seguir. Em reunião realizada na segunda-feira, dia 28 de janriro, os promotores das corridas de Fórmula 1 deixaram claro que não gostam da redução das transmissões das provas em TV aberta e alertarem para os ‘perigos’ do futuro, deixando algumas críticas à Liberty Media.

Em comunicado Associação de Promotores da F1, revelou que a mudança da transmissão das corridas para a televisão paga, vai reduzir drasticamente o número de espectadores e consequentemente, afetar os interessados na compra de ingressos. Além disso a associação levanta dúvidas sobre o motivo que leva a Liberty a atribuir ofertas financeiras mais favoráveis a alguns eventos.

No documento aprovado, os promotores deixam claro que existem três pontos fundamentais que tem de ser resolvidos:

– Não é do interesse da F1, a longo prazo, que os fãs percam o acesso gratuito ao conteúdo e às transmissões;

– Há uma falta de clareza sobre as novas iniciativas da F1 e uma falta de envolvimento com os promotores nas suas implementações;

– Novas corridas não deveriam ser introduzidas em detrimento dos eventos existentes, apesar dos promotores se sentirem encorajados com os moldes de negócios alternativos que estão a ser oferecidos a possíveis novos eventos.

“Com a chegada de uma nova temporada da categoria que promovemos há muitas décadas, os promotores querem uma abordagem mais colaborativa pelo desenvolvimento da categoria e a oportunidade de oferecer a sua experiência e o seu conhecimento num espírito de parceria com a F1 e a FIA”, acrescenta o comunicado.

Com a incerteza quanto ao futuro de cinco corridas do mundial cujos contratos terminam este ano (Grã-Bretanha, Itália, Espanha, Alemanha e México), os promotores parecem mais unidos do que nunca na tentativa de levar os organizadores da Fórmula 1 às mudanças necessárias na disciplina.

 

Sem Comentários

Insira um Comentário

0Shares