Chuva e direção exige atenção e cuidados

Chuva e direção exige atenção e cuidados

Prevenir é melhor que remediar” especialista destaca que o ditado deve ser levado ao ‘pé da letra’ antes de assumir a direção e enfrentar o trânsito em dias de aguaceiro

Muito cuidado: os dias de chuvas constantes, que causam alagamentos e enchentes em grandes cidades, geram um aumento de 30% no número de colisões, de acordo com o Denatran, e provocam também uma série de preocupações em quem precisa enfrentar horas em um trânsito ‘daqueles’. É um período em que os motoristas devem adotar medidas eficazes para não entrar para estas estatísticas.

As pistas mais escorregadias e a redução da visibilidade, por exemplo, são alguns dos fatores que propiciam o crescimento destes índices. Por isso, é bom evitar assumir o volante. Mas, se não houver jeito e precisar encarar o aguaceiro, o motorista tem que ter cuidado redobrado e contar com alguns aliados, que além de proporcionar qualidade e durabilidade do automóvel, garantem a trafegabilidade com segurança e ainda reduz os riscos de acidentes. Para isso, o mercado conta com um leque de produtos, como Intebrilho, por exemplo, que conta com um portfolio desenvolvido especialmente para oferecer soluções para o dia a dia do brasileiro. Dentro do universo de opções, há as linhas Rodabrill e Cockpit, com produtos elaborados para manter o veículo disposto a enfrentar qualquer imprevisto.

Aliando qualidade e preços acessíveis, eles se tornam verdadeiros escudos e garantem os cuidados necessários à durabilidade do automóvel. Então, na hora de ganhar as ruas e enfrentar as chuvas, que tal preparar um check list? Fernando Pagotto, Químico/Técnico responsável da Interbrilho, listou algumas observações importantes para quem que vai encarar a direção nestas condições:

– Motor preparado é fundamental: O especialista orienta que antes de entrar em áreas alagadas, o motorista deve engatar a marcha e manter uma velocidade constante. Para isso, o motor precisa estar trabalhando entre 2.800 e 3000 rpm, impedindo assim a entrada de água no escapamento. Por isso, é fundamental estar com o sistema motor em perfeitas condições;

– De olho nos pneus: Um dos principais problemas observados é a aquaplanagem, que acontece quando uma lâmina de água se forma na pista, deixando-a escorregadia. O especialista aconselha que para sair de uma situação dessa, é preciso tirar o pé do acelerador e dirigir em linha reta. Além disso, é fundamental manter os pneus em ordem, porque se ele apresentar problemas, as chances de perder contato com o chão é maior.

– Atenção com os radiadores: Em períodos de chuvas, os riscos de superaquecimento do motor são evidentes e para evitar a ‘dor de cabeça’, é importante verificar sempre o nível da água no radiador e adotar cuidados com a peça. Para não ficar preso no meio do aguaceiro, algumas adotar ações preventivas envolvendo o radiador do carro, podem contribuir;

– Para-brisas também precisam de cuidados: Manter o para-brisas dos veículos funcionando é um dos pontos primordiais para garantir a segurança na direção. O consultor enumera que na hora de encarar as chuvas, para-brisa tem que estar 100% para não embaçar e não prejudicar a visibilidade, o que é imprescindível quando se fala em segurança. O cuidado com a peça deve acontecer ao longo de todo o ano, segundo o especialista, porque em períodos mais secos, os limpadores são alvos de raios ultravioletas, e ficam ressecados, quebrando a borracha e palheta. Por isso, é importante prevenir o desgaste do acessório.

Outras dicas importantes do consultor:

  • manter faróis acesos, mas em baixa intensidade, para não prejudicar a visibilidade de outros condutores;
  • deixar as luzes vermelhas na parte traseira do veículo ligadas, para ajudar a manter outros motoristas alertas e evitar colisões;
  • ter atenção redobrada em áreas de travessia de pedestres, para evitar acidentes;
  • dirigir em velocidade baixa e/ou moderada, de forma preventiva, principalmente em locais nos quais há intensa movimentação de pedestres;
  • dirigir mantendo distância segura entre veículos em movimento, para ter tempo hábil de frear, se necessário;
  • evitar vias inundadas, que podem ter esconder obstáculos e oferecer riscos de acidentes graves;
  • se a chuva estiver muito forte e não houver visibilidade, é melhor parar o carro em lugar seguro ou até no acostamento, com o pisca alerta ligado;
  • só fazer ultrapassagens em segurança, não avançar sinais e nada de manobras arriscadas.

Agora, se nada disso for planejado antes de enfrentar o trânsito e as chuvas, é bom pensar duas vezes, porque em caso de problemas, o motorista vai precisar levar o carro à uma boa oficina e nestas horas, economizar pode não ser uma saída. Ou seja, vale a máxima “prevenir é melhor que remediar”.

Sem Comentários

Insira um Comentário

0Shares