Mick Schumacher já começa a ser comparado com seu pai

Mick Schumacher já começa a ser comparado com seu pai

Matia Binotto, o chefe da Ferrari, diz que jeito de Mick é similar ao de Michael Schumacher

Filho de peixe, peixinho é, diz aquela máxima. Quando o atual chefe da Ferrari, Mattia Binotto era “apenas” engenheiro de motores no primeiro teste de Michael Schumacher com a Ferrari, no final de 1995, e trabalhou ao lado do heptacampeão de F1 ao longo de sua carreira em Maranello. Ele, 24 anos depois, teve a chance de observar, Mick, filho de Michael, de perto desde que o campeão da F3 se tornou parte do programa de jovens pilotos da escuderia.

Mick Schumacher testou para a equipe pela primeira vez no Bahrein, no início deste mês, e por meio do programa ele também testou um dia com a Alfa Romeo. “Foi a primeira vez que o vi depois de muitos anos, em Maranello. Olhei para ele e não achei que fosse parecido com Michael”, disse Binotto. “Mas a maneira como ele está se comportando é muito semelhante, e a maneira como ele abordou os exercícios, a maneira como ele está interessado no carro, discutindo com os técnicos. Mesmo em Maranello, estávamos cuidando dele, mas ele estava sempre na oficina olhando o carro, falando com os mecânicos. E acho que é um pouco parecido com o pai dele.”

Schumacher foi o segundo mais rápido, atrás de Max Verstappen no dia em correu com a Ferrari, e disse após o teste que ele estava positivamente surpreso com seu desempenho. Binotto insistiu que o teste do Bahrein era simplesmente uma oportunidade para Schumacher se acostumar com a F1, e que a intenção não era julgar seu potencial. “Para avaliar o desempenho, acho que é muito difícil, primeiro porque a condição do tempo estava muito ruim naquele dia, e porque no final acho que o objetivo não era realmente avaliar performance. Foi o primeiro dia dele em um carro de F1, ainda está na fase de aprendizado, ele está enfrentando um desafio completamente novo em sua temporada de F2. E acho que o que certamente foi positivo foi a maneira como ele abordou os exercícios, a maneira como ele abordou o dia do teste, nunca chegando ao limite, tentando melhorar, aprendendo como o carro funciona, aprendendo com o time. E acho que, a esse respeito, ele fez um bom trabalho, muito bem concentrado e tentou fazer o trabalho adequado e aprender. E eu acho que é mais do que você espera em um dia como esse.”, finalizou o chefe da Ferrari.

 

 

Sem Comentários

Insira um Comentário