Mais de dois mil profissionais participam do ABX19 e discutem o futuro da indústria da mobilidade

Mais de dois mil profissionais participam do ABX19 e discutem o futuro da indústria da mobilidade

Na era digital, indústria automotiva passa por sua mais profunda transformação

Os números comprovam o sucesso do maior encontro B2B do setor automotivo, o ABX19 – Automotive Business Experience, promovido por Automotive Business, nesta semana, no São Paulo Expo, na capital paulista. Mais de dois mil profissionais do setor automotivo participaram de aproximadamente oito horas de puro conteúdo, oferecido por 151 palestrantes. Os participantes ainda tiveram à disposição a rodada de negócios e encontros rápidos (Speed Meeting) que puderam ser agendados por meio de plataforma digital exclusiva do evento. No total, foram realizadas 524 reuniões ao longo do dia com 80 negócios iniciados. O evento ainda movimentou mais de 110 grandes empresas do setor, além de 64 startups.

“Sob o tema ‘Em meio à disrupção, nós te mostramos novos caminhos’, reunimos nomes importantes e influentes da cadeia automotiva para analisar o futuro da indústria. Nosso objetivo é ajudar as empresas inovarem com propósito, tornando-as mais competitivas, lucrativas e amplificando seu impacto positivo na sociedade”, afirma Paula Braga, diretora executiva de Automotive Business.

Seguindo um formato inovador, com seis palcos simultâneos montados numa grande arena, os temas apresentados foram divididos em categorias: automóveis e autopeças; pesados e máquinas; distribuição e concessionárias; inovação e mobilidade. Os outros dois palcos também trataram de mais assuntos relevantes e importantes para o setor.

Maturidade digital

Durante o evento, foram apresentados os resultados preliminares de uma pesquisa que revela que 61% dos profissionais do setor afirmam que suas empresas ainda estão longe de alcançar maturidade digital. Desse total, 14% admitem que estão muito longe deste ponto.  O foco ainda está concentrado apenas na otimização dos processos. Apesar do índice estar abaixo das expectativas, 86% dos respondentes indicaram que a transformação digital é um tema prioritário nas empresas em que trabalham.

Esses números fazem parte do Índice de Transformação Digital do Setor Automotivo, realizado por Automotive Business, em parceria com o Cesar (Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife), um dos grandes hubs de inovação do Brasil. O resultado – prévio – foi apurado por meio de questionário on-line com 93 pessoas que atuam em organizações automotivas.

Outros Temas

A necessidade de o Brasil definir as regras para os veículos autônomos – ainda que seja uma realidade distante para o País – foi um dos temas abordados no ABX19. Tendência global, os veículos autoguiados deverão estar presentes nos Jogos Olímpicos de 2020, que será disputado em Tóquio (Japão).

Outro assunto colocado em pauta foi o futuro das concessionárias na era digital, mostrando o que deve ser feito para manter seus negócios. Nesse novo cenário de transformação digital, é preciso que montadoras e suas redes de revendas encontrem soluções para se comunicar com o cliente da forma que ele quer e espera. Atualmente, 70% das pesquisas sobre o compra de veículos são feitas por celular.

O mercado de aftermarket, que tem potencial para faturar R$ 120 bilhões até 2022, também tem muitos desafios para encarar, como a digitalização, novas tecnologias de propulsão (veículos híbridos e elétricos), além da mudança na forma de consumo de veículos – com a chegada dos sistemas de compartilhamento, como o Uber, por exemplo, as pessoas deixam de comprar seu próprio veículo.

A retomada dos negócios no segmento de motocicletas, graças à maior oferta de crédito e à redução da inadimplência, foi outro tema destacado no evento. No primeiro trimestre deste ano, foram liberados R$ 525 milhões para financiamento, volume 14,4% superior ao registrado no mesmo período do ano passado. A taxa de não pagadores caiu para 3,3 pontos em março – o menor índice para o mês desde 2011, quando foi de 6,7 pontos. Hoje os financiamentos por CDC e consórcios representam 70% das vendas.

Além desses quatro temas, foram discutidos o potencial das marcas premium de veículos, o mercado de caminhões e de veículos leves e os motivos que levam o consumidor a adquirir um veículo zero quilômetro, entre outros.

Sem Comentários

Insira um Comentário