Tecnologia da telemetria na condução segura

Tecnologia da telemetria na condução segura

Ferramenta coleta dados sobre velocidade, frenagens bruscas e uso de combustível e se torna uma aliada para propor formas mais seguras de direção

Segurança acima de tudo! A cada 60 minutos, em média, pelo menos cinco pessoas morrem vítimas de acidente de trânsito. Nos últimos 10 anos, já foram mais de 1,6 milhão de feridos, segundo dados do Conselho Federal de Medicina (CFM). Com esse cenário preocupante, as empresas de frotas estão de olho nas novas tecnologias para identificar formas de condução mais seguras. A telemetria, tecnologia que permite a transmissão remota de dados em tempo real, é um bom exemplo.

Com a ferramenta, é possível monitorar como cada colaborador está dirigindo. Ela identifica excesso de velocidade e frenagens bruscas, além de coletar dados sobre os locais onde ocorrem as anomalias. “É importante usar a telemetria com uma parte educativa e não punitiva. Com a tecnologia, a empresa vai identificar a forma de conduzir dos motoristas e usar essas informações para melhorar a sua condução e evitar acidentes”, explica Roberto de Falco, Gerente de Produtos da ValeCard.

Para o executivo, os gestores estão começando a ver a telemetria como uma aliada nas questões de segurança. Mesmo tendo que pagar uma mensalidade para usarem a ferramenta, eles veem que com a tecnologia é possível padronizar a sua frota em relação a modo de condução e assim conseguir reduzir os pedidos de afastamento devido a acidentes. “É um custo que vale a pena e posteriormente impacta positivamente a economia da companhia”, afirma Falco.

“A nossa ferramenta calcula a velocidade permitida na via e compara com a do veículo. É possível também fazer uma análise de consumo de combustível e identificar quais condutores estão gastando mais e comparar com a sua forma de dirigir. Além disso, há o monitoramento das notificações das infrações de trânsito e pontuação na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).”

Com essas informações, é possível mapear os locais onde condutores cometem mais infrações, afirma. Para Falco, a ideia é usar esses dados para propor treinamentos para os funcionários.

Com a tecnologia de dados, também é possível que as companhias controlem o uso indevido dos seus veículos, trazendo mais segurança para o negócio. Ao usar a ferramenta, o gestor de frotas consegue relacionar o horário de trabalho com os quilômetros percorridos.

“Assim, fica mais fácil controlar o uso de combustível. Às vezes, o condutor pode usar o carro fora da empresa, mas é preciso definir se isso será debitado do salário dele ou se entrará como um benefício”, diz.

Há a possibilidade também de bloqueio automático do veículo que estiver ocioso e bloqueio programado de acordo com horário de trabalho, impedindo que o veículo dê a partida fora da faixa de horário estabelecida.

Sem Comentários

Insira um Comentário