FOI A KOMBI QUE SALVOU O CASAMENTO?

FOI A KOMBI QUE SALVOU O CASAMENTO?

Foi no século passado.
Um casal amigo viveu algumas desavenças, como muitas que acontecem nos bons lares deste planeta. E, como em muitos destes casos, o cara saiu de casa, sem pensar direito (coitadinho, né? Sempre inocentes.) e assim, meio que destrambelhadamente, levando apenas a “roupa do corpo”.
Foi buscar abrigo na casa de uma amiga em comum (ele jura que era só abrigo mesmo. Vai saber…).
Enquanto isso, Elísia, a abandonada, buscava informações entre os amigos para saber do Ergóido, o “Gó”.
Ninguém sabia. Ninguém mesmo! Nem mesmo ela, a Luz, uma grande e “desinteressada” amiga. Todo mundo preocupado com o “Gó”, e ele sem dar notícias.
Segundo ele explicou depois, estava vivendo um momento sabático.
O “abrigo”
Só que aquela “grande amiga”, a Luz, morava não muito distante do caminho da Elísia, para o trabalho. Dias depois, ao desviar de seu trajeto habitual, por causa de uma Kombi tombada na avenida, passou em frente à casa e avistou um carro. Era o carro do “Gó”, parado na porta da casa grande amiga.
Enfurecida, Elísia voltou correndo para sua casa, chamou uma empresa de carreto pedindo um veículo que pudesse carregar algumas coisas. Entre essas coisas, que o “Gó” tinha deixado em casa, estavam duas camas de seus filhos (cada um de um de seus dois casamentos anteriores) e outros objetos que ele lá havia abandonado.
Quando o carro chegou, adivinhem o modelo? Esse mesmo, uma picape Kombi. Equipada motor diesel, que teve vida curta na Volkswagen, naquele tom cinza que só ela tinha (vai assim mesmo, com cacófato). Daí, Elísia mandou colocar todas as tranqueiras do “ex” dentro e deu o endereço daquela …. (melhor não nominar aqui o adjetivo).
Quando a Kombi parou e dois carregadores começaram a descer aquele monte de coisas, com destaque para as camas, Luz simplesmente surtou, puxou os cabelos e, aos gritos, muitos gritos, mandou colocar tudo de volta.
E, como sobrara espaço no furgão – Deus meu, como cabia coisa na tal da Kombi – enfiou lá também a “roupa do corpo” e uns livros (ele adorava ler) do Ergóido, mandando levar tudo de volta de onde viera. E, para surpresa/espanto – e também alegria  dos amigos –  o casal reconciliou-se, vivendo felizes até hoje. E com mais três filhos que chegaram após a episódio.
Tudo graças à Kombi. E à atitude de revolta da grande “amiga”.
Quanto à Luz, apagou e saiu da cidade. Hoje mora numa fazenda, no Mato Grosso. Do Sul? Sei lá, apagou mesmo.
Sem Comentários

Insira um Comentário