Pandemia: músicos se adaptam a novas oportunidades

Pandemia: músicos se adaptam a novas oportunidades

Dentro de um caminhão “de vidro”, cantores se apresentam pelas ruas de São Paulo em projeto solidário que leva música e mensagens positivas para a população

Mesmo com a flexibilização gradativa, alguns segmentos já preveem que serão uns dos últimos a serem liberados para a retomada, como é o caso do mercado de Eventos, incluindo shows. Assim, músicos, produtores e outros profissionais do meio cultural estão sem boa parte da fonte de renda. A pesquisa do DATA SIM/ SIM São Paulo da primeira semana de março constatou que o mercado da música brasileira teve um prejuízo de R$ 480 milhões, devido a mais de 8.100 eventos musicais cancelados. Com futuro incerto, esses profissionais precisam se adaptar, porque nem todos os artistas conseguem realizar lives patrocinadas, uma das saídas encontradas por parte da indústria musical.

A Brandtruck – empresa especializada na criação, construção e locação de trucks inteligentes para eventos – também precisou se reinventar e criou o projeto “Música na Varanda” para levar música de qualidade e mensagens de otimismo para os paulistanos. Com a ação, a empresa criou novas oportunidades para os músicos: dentro de um caminhão “de vidro” especialmente adaptado, cantores rodam pelas ruas de São Paulo, interpretando músicas alegres e que tocam o coração, além de mensagens de otimismo.

O projeto colabora para que os músicos Marcia Regina Gomes, Ismaille Miranda, Dodô do Sax e o casal Fabia Dias e Rica Sant’ Anna tenham um fôlego.

A violinista e musicoterapeuta Marcia Regina Gomes vive apenas da música e sente na pele a interrupção de trabalhos em decorrência da pandemia. Marcia até conseguiu fazer alguns trabalhos musicais, como serenatas e apresentações para o Dia dos Namorados e Dia dos Avós, gravadas em vídeos ou online. “O grande problema é que isso não é suficiente para pagar nem o mínimo, que são as contas de consumo – água, luz, gás, internet, etc. Então, eu tive que começar a atuar também na área de comida.”, conta a violinista, que passou a vender queijos, doces e marmitas. Hoje, a renda proveniente de música é só mesmo a do projeto da Brandtruck.

Dodô do Sax, como é conhecido, tinha como principais trabalhos a banda “Turma do Pagode” e o próprio projeto “Sax Live”; teve 70% das atividades suspensas, ficando apenas algumas gravações em estúdio. Também com renda exclusiva na música, Dodô teve o salário da banda diminuído drasticamente, mas continua recebendo, o que já é mais animador.

Shows em barzinhos, casa de shows e eventos corporativos, no momento, nem pensar. Então, o cantor e compositor, Ismaille Miranda, que fazia estas apresentações, vive agora com dificuldade. Esse momento está sendo muito difícil, o que ainda gera uma renda, mesmo que baixa, são os direitos autorais de algumas músicas minhas e lives que participei como músico.”, diz. Além do truck, Ismaille neste momento, faz alguns arranjos e gravações, que ajudam a suprir com as obrigações do mês.

Já o casal de cantores e atores, Fabia Dias e Rica Sant’ Anna, fazem também apresentações musicais no truck, também se reinventaram e começaram a fazer serenatas presenciais para levar um pouco de amor em forma de canção. Precisaram adaptar e migrar as aulas de teatro para o online.

Até o momento, a campanha solidária “Música na Varanda” realizou cerca de 450 apresentações em bairros das zonas norte, sul, leste e oeste e a meta é chegar a 1.000 pontos de contato, à distância, é claro, até dia 8 de setembro.O projeto conta com o apoio da Crossfox Elétrica – que renovou o patrocínio da segunda etapa da ação – e da PagueVeloz. Em fase de planejamento, a ação deve se estender para outras capitais do país. 

Sem Comentários

Insira um Comentário