Porque o laudo cautelar deve ser prioridade

Porque o laudo cautelar deve ser prioridade

Ao adquirir um carro seminovo, esta pode ser a maior forma de segurança; entenda para que serve o documento

Em contramão a crise decorrente da pandemia pelo Covid-19, a venda de carros seminovos aumentou. Apenas no mês de setembro, de acordo com a Fenauto (Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores), as vendas cresceram mais de 12% em relação ao mesmo período do ano anterior.  A mudança de hábito da população em relação ao que consideram como prioridade foi um dos fatores marcantes para tal índice.

Enquanto isso, se as vendas aumentam, os cuidados também devem seguir na mesma proporção. Isso porque o índice de fraudes também cresceu devido as compras realizadas em ambientes online ou físicos através de vendedores sem certificação adequada. Segundo a Associação Brasileira de Leiloaria, durante o período de pandemia, aumentou em mais de 900% o número de golpes online envolvendo falsas ofertas – a maioria referente a venda de automóveis.

Nesse sentido, entra em cena o principal documento responsável pela segurança durante a compra de um veículo seminovo: o Laudo Cautelar. Flávio Maia, diretor de Planejamento e Marketing da Associação dos Revendedores de Veículos de Minas Gerais (ASSOVEMG), destaca que, apesar de não ser obrigatório ainda, o Laudo Cautelar oferece um relatório completo sobre todos os itens necessários que impedem fraudes e comercialização de veículos em estado duvidoso. “O objetivo do documento é atestar a originalidade do veículo e todos os seus itens. Ele apresenta detalhadamente todo o histórico do carro, procedência das peças, atestado de originalidade do motor, dentre outros detalhes minuciosos”, esclarece.

Flávio garante que esse documento é essencial para a segurança de ambos: vendedor e comprador, já que ele fornece tranquilidade no processo de compra e, após fechamento do negócio, a loja também se isenta de qualquer alteração que o veículo possa sofrer após a venda.

Portanto, Flávio orienta que antes de fechar negócio, esse documento deve ser uma prioridade. “Com ele, você terá garantia de que o carro possui excelente procedência e evita chances de fraudes e até roubos ou furtos, já que no processo de certificação, ele também vai revelar a revenda inadequada do veículo”, garante.

Exatamente por ser tão criterioso, a Associação dos Revendedores de Veículos de Minas Gerais (ASSOVEMG), orienta todos os seus associados a realizar o Laudo Cautelar e prezar pela segurança dos seus compradores. Além disso, as lojas associadas sempre passam por um processo de certificação para garantir que todos os processos estão de acordo com a legalidade. Caso deseje adquirir um veículo seminovo, busque uma loja associada. Para conhecer ou tirar dúvidas, basta acessar: www.seminovosassovemg.com.br

Fonte: Flávio Maia, formado em administração com MBA em projetos na Fundação Dom Cabral e Finanças no IBMEC. É também sócio fundador da AutoMAIA Veículos.

 

Sem Comentários

Insira um Comentário