Cuidado com os excessos nas festividades de fim de ano

Cuidado com os excessos nas festividades de fim de ano

Nutricionista orienta como aproveitar as celebrações sem ficar com peso na consciência e também ensina como amenizar quando as coisas saem do controle

As festas de final de ano são, para muitos, a chance de enfiar o pé na jaca e comer tudo e mais um pouco. E isso traz consequências no peso e na saúde das pessoas, já comprovadas cientificamente. Estudo da Universidade de Copenhague, na Dinamarca, aponta que após essas festividades aumentam as taxas de colesterol. A boa notícia é que, ao voltar à rotina alimentar e ao peso de antes dos excessos, os níveis de gordura se normalizam. É importante, portanto, não se acomodar após as celebrações e correr atrás da silhueta perdida.

Comidas gordurosas e álcool em excesso podem ser considerados os principais responsáveis pelo aumento de peso e de colesterol após as festas de fim de ano. E um ingrediente encontrado tanto nas iguarias quanto nas bebidas desta época é o açúcar. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o máximo de consumo permitido é 50 gramas de açúcar por dia. Porém, o ideal é a metade dessa quantidade. Assim, a questão é: como aproveitar as festividades sem prejudicar a saúde?

Para a nutricionista Laura Filmari (CRN/1 15233), que atende no centro clínico do Órion Complex, em Goiânia, a questão principal é o objetivo da festa. “A dica para não extrapolar nestas celebrações é não ir com foco nos alimentos, mas sim em rever as pessoas e confraternizar. Não pensar apenas na ceia e no que será servido, mas aproveitar para conversar e curtir a festa como um todo”, destaca a profissional.

Outra dica dela é evitar sentar à mesa onde os alimentos estão servidos ou próximo à ela. “Diminui a chance de pegar mais do que precisa e também de ficar beliscando. Às vezes, a pessoa já está sem vontade e come até sem perceber”, explica. Fazer um lanche prévio não é uma boa opção para a maioria, segundo Laura. “Só resolve se for alguém muito controlado. Até porque, os alimentos da ceia são diferentes, específicos da época e as pessoas acabam não resistindo e comendo mais de uma vez, mesmo quando se lancha antes”, salienta.

Moderação é a palavra chave para a especialista. “Não precisa restringir nada, mas consumir tudo com moderação, tanto a comida quanto a bebida, pois o excesso de álcool também deve ser evitado. Mesmo sendo uma ocasião especial, com um cardápio próprio, as pessoas terão mais oportunidades de comer aquilo, não será a última vez na vida”, afirma. Outro erro deste período é a restrição alimentar. “Muitas pessoas se propõem a iniciar um regime junto com o novo ano e por isso querem se esbaldar nas festas de final de ano. Porém, a tendência da restrição durar por muito tempo é pequena e as pessoas acabam ficando com o peso adquirido”, afirma.

Quem não conseguir seguir as dicas dadas por Laura Filmari para evitar os excessos alimentares nas celebrações desta época, deve ficar atento. “Muitas pessoas percebem que exageraram nas festividades e querem ter atos compensatórios, como ficar sem comer, mas o ideal é voltar para a rotina e beber muita água”, ressalta a nutricionista. “Chás diuréticos também podem ser consumidos, mas sem excessos, principalmente por hipertensos”, alerta.

Além disso, deve-se caprichar nas cores na hora de montar o prato. “Após excessos é importante ter uma alimentação rica em fibras, que podem ser encontradas em vegetais verde escuros como couve, rúcula e espinafre. Se eles forem consumidos crus é ainda melhor. As fibras ainda podem ser encontradas nas cascas das frutas, como maçãs e peras, por exemplo”, destaca Laura. “O consumo de grãos integrais, farelo de aveia e sementes, como chia e linhaça, também é importante. Quanto mais colorida a alimentação ela se torna melhor e mais rica em fibras”, salienta.

Um ponto destacado pela nutricionista é quanto aos conhecidos combinados detox, os quais confundem muitos consumidores. “Não existe alimento com processo de desintoxicação, que muitas pessoas acham que vão consumir e eliminar os males. O que existem são sucos agregados de nutrientes que são mais ricos em fibras do que os convencionais, feitos com apenas um tipo de fruta”, explica Laura Filmari. Dessa forma, a nutricionista ensina um suco e um chá que ajudam após o excesso na alimentação.

Sem Comentários

Insira um Comentário