Função da mola de suspensão e o fim da vida útil

Função da mola de suspensão e o fim da vida útil

Componente absorve impactos que a suspensão sofre e controla a altura do carro

Não há desconforto maior para motoristas e ocupantes de um veículo do que os sucessivos solavancos causados pelo mau estado do sistema de suspensão. Sujeito a impactos provenientes das irregularidades dos diferentes tipos de solo, esse sistema, composto por diferentes elementos flexíveis, é o responsável pelo conforto, estabilidade e segurança no carro. Portanto, a sua manutenção é tão importante. Motoristas e mecânicos devem ficar atentos aos sinais de desgaste dos componentes que fazem parte da suspensão, além de seguir as orientações dos fabricantes quanto ao tempo de troca.

Das peças que formam o sistema de suspensão, as molas ocupam um papel de destaque já que são as responsáveis pela absorção dos impactos que o sistema sofre ao longo do uso. “A mola se contrai e distende de acordo com o movimento do veículo, sustentando-o de forma a não pressionar a suspensão de maneira errada ao longo desse processo”, explica Jair Silva, gerente de qualidade e serviços da Nakata.

As molas são fabricadas em três diferentes formas: helicoidais, mais compactas e leves; de flexão, usadas em veículos de carga e, de torção, usadas em picapes.

Mesmo projetadas para suportar cargas pesadas e impactos, as molas de suspensão sofrem fadiga com o tempo e, por isso, existe a necessidade da manutenção preventiva para que a altura do carro não seja afetada.

 

Sem Comentários

Insira um Comentário