Dicas para dirigir sob chuva na estrada e cidade

Dicas para dirigir sob chuva na estrada e cidade

Revisão dos pneus, especialmente na época de chuvas, é fundamental para evitar acidentes graves

 Segundo os climatologistas, no verão 2020/20121 o fenômeno La Niña deverá intensificar o volume de chuvas nas regiões Norte, Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil. Dirigir em vias molhadas pode ser perigoso e nessas condições os pneus demandam alguns cuidados especiais para uma condução segura do veículo.
Um estudo conduzido pela Continental, fabricante de pneus de tecnologia alemã, apurou que pneus novos, com 100% de sua capacidade de dispersão, podem dar vazão a até 30 litros de água por segundo a uma velocidade de 80 km/h. Mas, quando os sulcos atingem o limite legal de 1,6 mm essa capacidade cai para 55%, o que impacta direta e negativamente a dirigibilidade e a segurança.

“Sob chuva, além de reduzir a velocidade, é importante manter-se distante do veículo à frente. Em uma pista molhada o motorista necessita de três vezes mais espaço para frear em comparação com uma pista seca”, destaca Rafael Astolfi, gerente de assistência técnica da Continental Pneus.

A seguir, o especialista enumera cinco dicas para trafegar com segurança – tanto na estrada como na cidade – e assim evitar acidentes em dias chuvosos:

Aquaplanagem – quando há muita água na pista, o veículo pode perder o contato com o asfalto e deslizar. Nessa situação não freie ou faça qualquer movimento brusco com o volante. Aguarde que a perda gradativa de velocidade faça com que o veículo volte a ter contato com a pista e assim o controle possa ser retomado;

Reduza a velocidade – a água da chuva, quando misturada à sujeira e ao óleo que se acumulam nas ruas e estradas, aumenta a possibilidade de derrapagens. Ao reduzir a velocidade, o motorista permite que uma área maior da banda de rodagem entre em contato com a pista, aumentando assim a aderência dos pneus com o solo;

Mantenha distância – além de reduzir a velocidade, é importante manter distância do veículo à frente. Em uma pista molhada, o motorista necessita de três vezes mais espaço para frear em comparação com uma pista seca;

Análise dos sulcos – também é importante observar a profundidade dos sulcos dos pneus. A Continental conta com uma tecnologia exclusiva, o WWI (wet wear indicator) que alerta quando sulcos do seu pneu atingiram a profundidade de 3 mm. A partir desse momento, o desempenho no molhado já não é mais o mesmo de um pneu novo e, portanto, é necessária ainda mais atenção. O WWI é complementar ao TWI (tread wear indicator) que indica o momento da substituição dos pneus (sulcos com 1,6 mm);

Calibragem, alinhamento e balanceamento – para assegurar que a área de contato entre o pneu e a pista seja a ideal, com o máximo possível de água sendo drenada, é essencial não descuidar da pressão, do alinhamento e do balanceamento das rodas.

No extenso portfólio da Continental à disposição do consumidor brasileiro vale destacar o PremiumContact 6 entre as opções de pneus com alta precisão de condução em piso molhado. Esse desempenho superior está refletido na obtenção da classificação “A” para aderência em piso molhado no PBE.  Premiado internacionalmente, o PremiumContact 6 conseguiu a difícil tarefa de equilibrar dirigibilidade, conforto, alta quilometragem e baixa resistência ao rolamento.

Confira outras importantes dicas sobre manutenção preventiva dos pneus no Calibrada Continental no Youtube: https://goo.gl/VMoHv7

Sem Comentários

Insira um Comentário