McLaren apresenta o híbrido Artura de 680 cv

McLaren apresenta o híbrido Artura de 680 cv

Modelo é o primeiro eletrificado do construtor britânico de superesportivos a ser produzido em série

A McLaren revelou na noite desta terça-feira, dia 16 de fevreiro, o seu primeiro supercarro “Hibrido de Alta Performance” de produção em série. Assim, a marca britânica estreia o novo  Artura um novo motor a gasolina V6 biturbo de 3.0 litros que debita 585 cv e um torque de 59,7 kgf.m, mais leve em 40 kg do que o tradicional V8 que equipa os carros da McLaren, combinado com um motor elétrico que adiciona 94 cv, para uma potência total de 680 cv e um torque máximo de 73,4 kgf.m.

Esta potência permite ao Artura acelerar dos 0 aos 100 km/h em 3,0 segundos, apenas 0,2 segundos mais lentos que o P1, e alcançar uma velocidade máxima de 339 km/h.

A McLaren revelou que o motor elétrico do novo Artura é alimentado por uma bateria composta por cinco módulos de íon-lítio, de 7,4 kWh que oferece uma autonomia até 30 km e uma velocidade máxima 130 km/h, em modo 100% elétrico.

 

Em matéria de carregamento, a bateria do novo Artura pode ser carregada até 80% em apenas duas horas e meia.

O Artura conta ainda com uma nova transmissão de dupla embreagem de oito velocidades, os modelos anteriores da McLaren estão dotados de caixa de sete velocidades, com tração traseira.

Para fazer face à performance deste novo Artura, a McLaren dotou este modelo de um diferencial autoblocante eletrônico, com o objetivo e controlar o torque de forma independente no eixo traseiro, que permite bloquear e desbloquear as rodas traseiras de forma individual para melhorar a tração em curva.

Além disso, a traseira está dotada de uma nova suspensão com triângulo superior e dois braços inferiores e um tirante na frente do centro da roda, o que ajuda maximizar a estabilidade do Artura, bem como a reduzir a subviragem durante a aceleração em curva.

O sistema de frenagem conta com discos de carbo-cerâmicos de 15,4 polegadas na frente e de 15 polegadas na traseira e pinças monobloco de alumínio de seis pistões. Mais ainda: o Artura está dotado de rodas de sete raios de série de 19 polegadas na frente e 20 polegadas na traseira.

O novo supercarro híbrido de alta performance da marca britânica é o primeiro modelo a estar dotado da plataforma McLaren Carbon Lightweight Architecture (MCLA).

A nova plataforma produzida em alumínio e fibra de carbono destina-se a acomodar especificamente motorizações híbridas, num modelo que tem 4.500 mm de comprimento e pouco menos de 2.000 mm de largura, mas a sua distância entre eixos de 2.640 mm é 30 mm menor que a dos modelos anteriores da McLaren o que contribui para a sua agilidade. O Artura apresenta um peso de 1.495 kg, que resulta de um trabalho apurado de redução de peso que começou há quatro anos.

A nova plataforma utilizada pelo Artura permite que o novo McLaren integre vários recursos de segurança utilizados pela primeira vez pela marca britânica.

A fabricante britânica revelou ainda que o seu primeiro modelo híbrido de alta performance conta com as espetaculares portas diédricas, que foram redesenhadas para abrir mais perto do carro.

No interior do Artura, destaque para o volante e o painel de instrumentos integrados, o que permite ao condutor regular, ao mesmo tempo, a posição de ambos. Além disso, a alavanca da caixa de velocidades é agora um seletor e está colocada na coluna de direção.

O Artura conta com quatro modos de condução: Comfort, Sport, Track e o modo E, para uma condução totalmente elétrica.

De série o Artura dispõe de com cruise control adaptativo com stop/go, alerta de saída de faixa de rodagem, reconhecimento de sinalização, entre outras ajudas à condução.

Para além disso o novo McLaren é o primeiro modelo da marca de Woking  equipado com o o novo sistema de info-entretenimento MISII, dotado de um painel sensível ao toque de alta definição, Apple CarPlay e Android Auto, e novo software de telemetria de pista com função Variable Drift Control, que a o construtor britânico lembra que é só para utilizar em pista.

Os principais comandos, incluindo os modos do motor, são controlados com a ponta dos dedos por meio de um sistema que pode ser facilmente operado sem que o condutor tenha de tirar as mãos do volante.

Já os bancos desportivos elétricos são aquecidos, mas existe a opção de dotar o Artura com bancos mais leves Clubsport que dispõem ajustes extras. A McLaren informou que o novo Artura vai entrar em produção até ao final do ano.

 

 

Sem Comentários

Insira um Comentário