“Glauber, Claro” retrata a agitação do cineasta na Itália

“Glauber, Claro” retrata a agitação do cineasta na Itália

Filme inédito, no canal Curta!, fala da trajetória do cineasta

Grande inovador do cinema brasileiro, Glauber Rocha (1939-1981) já foi tema de diversos filmes, mas em “Glauber, Claro”, o diretor César Meneghetti vai além: há, aqui, um retrato íntimo e criativo do cineasta, mais precisamente durante o período em que esteve exilado na Itália, na década de 1970.

Produzido por Renato Ciasca e Beto Brant, “Glauber, Claro” fez sucessos em festivais ao longo de 2020: estreou mundialmente e foi o único representante brasileiro no Festival de Cinema de Roma, foi vencedor do Prêmio da Crítica na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e foi laureado em cinco categorias do Fest Aruanda, entre elas a de melhor longa-metragem.

Para além da vivência de Glauber no exílio e do seu famoso protesto contra o júri do Festival de Veneza de 1980 (por “se render ao cinema comercial”), o documentário mostra que o diretor também se expandiu artisticamente através de diversos trabalhos, entre eles o longa-metragem “Claro”, gravado em Roma. O filme, o penúltimo do cineasta, é revisitado e analisado sob o olhar do século XXI.

Para acessar esse passado, “Glauber, Claro” se baseia nas memórias de pessoas que conheceram Glauber Rocha de perto, como amigos, parentes, críticos e colaboradores. Através de seus depoimentos, eles revelam um pouco mais da personalidade e do processo criativo do cineasta, com o auxílio de imagens de arquivo inéditas e trechos de “Claro”.

Conforme o documentário aborda temas como o Cinema Novo, o underground, o neorrealismo, utopia x distopia – em um contraponto entre a Itália de 1970 e a do século XXI – e a militância política através da arte. conforme o próprio cinema também é posto em discussão.  A produção mostra também os bastidores de “Claro” e sua relevância histórica.

O filme foi viabilizado pelo Curta! através do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) e fará sua primeira exibição na televisão exclusivamente no canal. A estreia é na Quarta do Cinema, 24 de fevereiro, às 22h.

Serviço:

Quarta de Cinema – 24/02

22h – “Glauber, Claro” (Documentário)
“Glauber, Claro” retraça, quase meio século depois, os passos do cineasta Glauber Rocha em Roma, na Itália, onde ele esteve exilado na década de 1970. Esse mosaico é formado através de testemunhos de seus amigos e colaboradores e de visitas às locações romanas de seu penúltimo longa-metragem, “Claro” (1975). O documentário investiga a experiência de Rocha e de toda uma geração de artistas na Itália dos anos 70, abordando temas como os bastidores de “Claro” e a sua relevância histórica, o cinema underground, o neorrealismo, o Cinema Novo e a militância política nas artes. O resultado é um inevitável paralelo entre a Itália do século XX e do mundo de hoje, entre a utopia dos anos setenta e a distopia atual. Diretor: César Meneghetti. Duração: 80 min. Classificação: 14 anos. Horários alternativos: 25 de fevereiro, quinta-feira, às 2h e 16h; 26 de fevereiro, sexta-feira, às 10h; 27 de fevereiro, sábado, às 15h20 e 28 de fevereiro, domingo, às 22h20.

 

Sem Comentários

Insira um Comentário