“História da Páscoa: Da Deusa Eostre ao Ovo de Chocolate”

“História da Páscoa: Da Deusa Eostre ao Ovo de Chocolate”

Pesquisa histórica revela quando o Ovo de Chocolate chegou na Páscoa

História da Páscoa: Da Deusa Eostre ao Ovo de Chocolate é um e-book que tem pesquisa e texto de Jumar SPedreira, que fez uma viagem no tempo e nos revela muitas informações importantes, históricas sobre a Páscoa desde os primórdios, muito antes da era cristã, até a grande surpresa que nos revela o período em que o ovo de chocolate, que conferiu um viés mais comercial chegou às comemorações da Páscoa.

Dividido em 6 capítulos o e-book aborda a Páscoa em cada contexto histórico.

  • Capítulo 1 – Aspectos Mitológicos
  • Capítulo 2 – A Páscoa Judaica (Pessach), a Páscoa Cristã Romana e a Páscoa Cristã Ortodoxa
  • Capítulo 3 – A Lenda da Lebre e dos Ovos Pintados como Símbolos da Páscoa
  • Capítulo 4 – Sobre Ovos e Coelhos
  • Capítulo 5 – O Chocolate e a Igreja Católica
  • Capítulo 6 – A Origem do Ovo de Chocolate

A Páscoa judaica, Pessach, significa “passar por cima”, referência aos primogênitos dos judeus salvos da 10ª praga proferida por Deus ao povo do antigo Egito. Também celebra o êxodo até a terra prometida de Canaã e mantém acesa a lembrança da escravidão vivida pelos judeus no Egito, como forma de não repetição no futuro, uma celebração à liberdade. A Páscoa cristã, romana e ortodoxa, com suas origens e tradições herdadas do Pessach, representa a ressurreição de Jesus Cristo, a passagem da morte para a vida, razão pela qual também está associada à ideia de “passagem”.

Esse primeiro volume do e-book História da Páscoa: da Deusa Eoestre ao Ovo de Chocolate, destacou o momento em que o primeiro ovo de chocolate aparece na Páscoa. Oficialmente o primeiro registro histórico do cacau e do chocolate, foi em Bristol, na Inglaterra, em 1873, lançado pela empresa britânica J.S. Fry & Sons, tornando-se quase 150 anos depois o maior símbolo comercial da Páscoa.

Ovos e coelhos são símbolos modernos da Páscoa cristã, provavelmente ressignificados dos cultos pagãos da mitologia nórdica da deusa Eostre, pelo papa Gregório I, no século XII.

O uso do chocolate nas festividades da Páscoa tem sua licença histórica nas discussões entre eclesiásticos e leigos, que duraram mais de dois séculos e meio, para se entender se o produto, originário da Nova Espanha, atual México, quebrava ou não o jejum da Quaresma.

O volume II do e-book, a ser lançada em 2022, irá abordar a história da Páscoa moderna a partir da produção do primeiro ovo de chocolate, com destaque especial à Páscoa brasileira.

Sem Comentários

Insira um Comentário