Aumento das emissões de veículos cresce no mundo

Aumento das emissões de veículos cresce no mundo

Informe Mobilidade Kapsch TrafficCom 2021 traz resultados globais sobre mobilidade e emissões atmosféricas

O setor dos transportes é a fonte de crescimento de emissões atmosféricas mais rápido do mundo: atualmente, gera cerca de 28% das emissões totais, sendo 59% provenientes de automóveis de passageiros e caminhões leves. Enquanto muitos outros setores já estão reduzindo as suas emissões a cada ano, os transportes vão na direção oposta, ameaçando os objetivos do Acordo de Paris. O Relatório de Mobilidade Sustentável da Kapsch TrafficCom 2021 ilustra os atuais desafios no âmbito dos transportes e mostra como enfrentá-los.

Embora a distância média percorridas pelos veículos (VMT, do inglês Vehicle Miles Traveled) tenha diminuído drasticamente durante os primeiros meses da pandemia da COVID-19, nos períodos em que as restrições são atenuadas, elas voltam aos níveis pré-pandémicos. Além disso, muitas pessoas estão menos dispostas a utilizar o transporte público devido ao risco de infecção, gerando demanda ainda maior nas redes viárias, e aumentando o VMT. Como a dependência dos veículos privados continua a crescer em todo o mundo, nenhuma cidade ou autoridade rodoviária pode ser complacente com o crescente desafio das emissões. Um veículo médio a gasolina emite 8887g de CO2 por cada galão de gasolina e um total de 4,6 toneladas métricas de CO2 por ano.

“São urgentemente necessárias soluções a curto prazo para reduzir as emissões de milhões de veículos em todo o mundo”, diz Alfredo Escriba, CTO da Kapsch TrafficCom. “O tráfego urbano e a gestão do congestionamento têm um impacto imediato na redução das emissões de CO2. De acordo com um estudo recente no Canadá, a redução do tráfego intermitente através da comunicação de informações de sinais de trânsito aos condutores demonstrou reduzir o consumo de combustível e, por consequência, as emissões. Métodos mais avançados, envolvendo conectividade de veículos e processamento de dados baseados em Inteligência Artificial, podem reduzir ainda mais as emissões causadas pelo congestionamento e tráfego ineficiente”.

As autoridades em muitos países têm implementado sistemas de transporte inteligentes há décadas, desde soluções de sinalização a sistemas de gestão e melhoria de congestionamento. No entanto, as abordagens tradicionais tendem a concentrar-se em soluções isoladas e autônomas que utilizam apenas um pequeno subconjunto dos dados de tráfego atualmente disponíveis. Por conseguinte, as abordagens tradicionais trazem benefícios limitados em termos de emissões e qualidade do ar.

A Cidade de Buenos Aires desenvolveu um plano estratégico em 2017, passando da gestão reativa para a gestão proativa e colaborativa do tráfego. O novo Sistema Integrado de Gestão da Mobilidade (SGIM) da cidade, permite gerenciar dados de múltiplas fontes para gerar e divulgar informação de alta qualidade. O software que foi implementado para o SGIM com a plataforma EcoTrafiXTM da Kapsch funciona como uma plataforma guarda-chuva que pode interligar e gerenciar a estrutura atual para uma gestão mais unificada – incluindo informação do Google Maps e Waze, operadores de pedágios e outros sistemas de terceiros. Atualmente, Buenos Aires opera com monitoramento global da mobilidade da cidade: monitora eventos e incidentes e permite que as pessoas utilizem um sistema de transporte multimodal com gestão eficiente do congestionamento que é orquestrado por um centro de controlo integrado de última geração.
Sem Comentários

Insira um Comentário