Tecnologias ajudam a salvar vidas no trânsito

Tecnologias ajudam a salvar vidas no trânsito

Sistemas de assistência ao condutor ajudam a tornar a mobilidade mais segura e confortável

Garantir a segurança no trânsito depende da ação de todos. A temática do Movimento Maio Amarelo 2021 “respeito e responsabilidade – pratique no trânsito” evidencia ainda mais a importância de refletir como a atitude de cada um pode fazer a diferença no dia a dia e como a conscientização e a empatia ao próximo ajudam a proteger a vida.

Neste sentido, e como apoiadora da segunda década de Ação para Segurança nas Estrada da Organização das Nações Unidas (ONU), a Bosch investe constantemente no desenvolvimento de sistemas de segurança e de assistência ao condutor que visam contribuir para uma mobilidade mais segura, confortável e livre de acidentes. Estudos apontam que mais de 80% dos acidentes de trânsito são causados por algum tipo de falha humana. “Visto isso, as tecnologias de assistência ao condutor formam uma base importante no que se refere à prevenção ou atenuação de um acidente, pois atuam como um ‘anjo da guarda’ dos motoristas em situações adversas no trânsito das cidades e rodovias”, afirma Michel Braghetto, gerente de Marketing da Divisão Chassis Systems Control da Bosch.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Bosch com condutores de veículos, a segurança é um item primordial na avaliação de 93% dos entrevistados. Além disso, 69% dos motoristas já vivenciaram situações críticas com a entrada repentina de cliclistas e/ou pedestres no caminho, enquanto 52% mencionaram terem se envolvido em colisões traseiras. Por isso, o grau adicional de segurança que os sistemas de assistência ao condutor oferecem é mais uma das razões para a sua crescente popularidade no mercado automotivo e uma ferramenta importante para um trânsito mais seguro.

Diante das estatísticas de acidentes em todo o mundo, as diversas tecnologias e soluções de assistência, que nem sempre são visíveis aos condutores, fazem toda a diferença. Compostas principalmente por sensores ultrassônicos, câmeras e radares, as tecnologias são modulares, funcionando de forma independente ou integrada conforme as funções disponíveis em cada veículo. A modularidade permite priorizar a segurança nos veículos e também oferecer conforto com a agregação de mais componentes.

“Os sistemas de assistência ao condutor estão evoluindo muito rapidamente e sua disponibilização nos veículos nacionais já é uma realidade, podendo ser encontrados em quase todos os segmentos. Muitas pessoas se surpreendem ao descobrirem que eles não são mais exclusivos ao segmento da linha premium, e estão disponíveis desde os hatchbacks pequenos”, explica Bruno Mori, gerente de Produto da Divisão Cross-Domain Computing da Bosch.

Veículos equipados com radar para atuação no sistema de Frenagem Automática de Emergência (AEB – Automatic Emergency Braking), tecnologia que previne colisões traseiras ou atenua consideravelmente o impacto desses acidentes, e do Piloto Automático Adaptativo (ACC), responsável por manter a velocidade e a distância correta do veículo à frente de acordo com o fluxo do tráfego, se beneficiam por terem o funcionamento baseado na emissão e recepção de ondas de rádio. O sistema funciona com alta eficiência mesmo em condições climáticas e de iluminação adversas, como neblina e à noite, garantindo a segurança do motorista e passageiros. Outra vantagem do radar é ser o sensor economicamente mais acessível para esses tipos de funções atualmente.

Outra tecnologia que colabora para evitar acidentes são os assistentes de aviso de saída de faixa (LDW) e assistentes de permanência em faixa (LKA), que atuam por meio de câmeras. Segundo a pesquisa da Bosch, 68% das pessoas entrevistadas relataram que se envolveram em acidentes durante situações de mudança de faixa de trânsito, 16% por conta de veículo em ponto cego e 26% devido à troca de faixa acidental. Neste último caso, 90% dessas ocorrências poderiam ser evitadas se todos os automóveis fossem equipados com os assistentes de aviso e permanência em faixa.

“Vale ressaltar que a melhor combinação para atingir a meta definida pela ONU, que é a redução de, pelo menos, 50% de lesões e mortes no trânsito no mundo inteiro, é a combinação do respeito e responsabilidade no trânsito com tecnologias de segurança e de assistência ao condutor”, conclui Braghetto.

Sem Comentários

Insira um Comentário