Os vilões das juntas homocinéticas e vida útil

Os vilões das juntas homocinéticas e vida útil

Desalinhamento das rodas, arrancadas abruptas e lombadas podem danificar as juntas homocinéticas

As homocinéticas são responsáveis pela transmissão da força gerada pelo motor para as rodas. As juntas homocinéticas podem sofrer desgaste prematuro devido a alguns fatores que envolvem a forma como o motorista conduz o veículo e o tipo de solo que trafega.

Arrancadas e freadas desnecessárias, passagem por depressões e  lombadas em velocidade incompatível e,  principalmente desalinhamento das rodas são fatores que comprometem a vida útil da peça.

Trafegar com o veículo em pisos esburacados também  pode comprometer as juntas homocinéticas”, afirma Jair Silva, gerente de qualidade e serviços da Nakata. Quando ocorre a quebra inesperada o veículo para de tracionar, por isso é importante fazer a revisão preventiva para avaliar como está o estado dos componentes.

Um dos principais indícios de desgaste das juntas homocinéticas são os ruídos durante a realização de manobras, como barulho metálico e estalos e, em causa mais comum de quebra é a ruptura da coifa ou excesso de torque na porca de fixação no cubo. “Quando a coifa se rompe, a lubrificação fica prejudicada devido à entrada de contaminantes, comenta. Abraçadeiras também podem apresentar problemas, como afrouxamento, e permitir a entrada de resíduos.

Fabricante de componentes para suspensão, freio, direção, transmissão e motor para o mercado de reposição, a Nakata conta com amplo portfólio de juntas homocinéticas e também kits de reparo, que compreendem coifa, abraçadeiras, anéis de vedação e graxa. A coifa é resistente produzida com NBR. Já as abraçadeiras são fabricadas em aço carbono, o que permite segurança contra vazamentos, enquanto os anéis garantem vedação entre a coifa e a junta homocinética. A graxa é específica à base de bissulfeto de molibdênio e com embalagem que possibilita maior aproveitamento do produto durante a utilização.

Sem Comentários

Insira um Comentário