Mercedes confirma George Russell na vaga de Bottas

Mercedes confirma George Russell na vaga de Bottas

Britânico entra na vaga de finlandês que vai correr na Alfa Romeo em 2022

Chegou ao novela que todos já sabiam qual seria o desfecho. George Russell foi confirmado como piloto Mercedes para a temporada 2022, mudança esta esperada depois da confirmação da saída de Valtteri Bottas para a Alfa Romeo, no lugar de Kimi Raikonnen que anunciou sua aposentadoria da categoria. Termina assim a saga do segredo mais mal guardado de 2021 e Russell recebe finalmente a promoção que merece.

George Russell irá ser piloto da Mercedes em 2022, tornando-se companheiro de Lewis Hamilton na nova era da F1. Depois de três anos na Williams onde mostrou o seu talento, além de uma postura irrepreensível, Russell tem finalmente a oportunidade de ouro que tanto desejava.

Russell é um dos maiores talentos da atualidade, algo que mostrou desde cedo, com a conquista dos títulos na F4 britânica, além da GP3 e F2 em anos consecutivos. Foi também terceiro classificado na F3 europeia e desde cedo foi encarado como uma das grandes promessas. A sua carreira é algo semelhante à de Charles Leclerc que também venceu o GP3 e a F2 em anos consecutivos e entrou para a F1 numa equipa de meio de tabela como apoio de uma grande estrutura. Mas se Leclerc apenas precisou de um ano para chegar a uma equipa de topo, Russell teve de penar um pouco mais. Com uma dupla estabelecida na Mercedes e com as contas do título a serem mais importantes, os Flechas de Prata mostraram alguma hesitação em apostar no jovem britânico, mas com a chegada de uma nova era, este momento tornou-se o ideal para apostar em Russell que já mostra maturidade suficiente para encarar o desafio.

A primeira amostra de Russell na Mercedes aconteceu no ano passado, no Bahrein, onde conseguiu suplantar Bottas e apenas o azar impediu um resultado histórico. Ficou claro que Russell tinha tudo para ser bem sucedido na Mercedes, mas os responsáveis resolveram adiar a sua promoção por mais um ano. Mas as prestações deste ano e as exibições mais cinzentas de Bottas terão levado à escolha de Russell, escolha que terá sido feita no Verão, ainda antes da espantosa prestação em Spa.

“É um dia especial para mim, pessoal e profissionalmente, mas também um dia de emoções mistas. Estou entusiasmado por me juntar à Mercedes no próximo ano, o que é um enorme passo na carreira, mas também significa que me vou despedir dos meus companheiros de equipa e amigos na Williams. Foi uma honra trabalhar ao lado de cada membro da equipa, e uma honra representar o nome Williams na F1. Desde que entrei em 2019, temos trabalhado incansavelmente para trazer a equipa de volta onde ela pertence. Temos lutado por cada qualificação, cada ponto, e cada décimo de segundo. Por muito duro que tenha sido, nunca ninguém desistiu, e isso tem-me inspirado todos os dias. Adorei cada momento no que descreveria como uma verdadeira equipa de corrida de coração e alma, e vou esforçar-me mais do que nunca para garantir que terminamos a nossa história da melhor maneira possível.”, disse Russell que tem 23 anos.

Sem Comentários

Insira um Comentário