Bridgestone apresenta primeiro Relatório de Sustentabilidade da América Latina

Bridgestone apresenta primeiro Relatório de Sustentabilidade da América Latina

Relatório reforça o apoio da empresa ao cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas e a Agenda 2030

 A Bridgestone acaba de divulgar seu primeiro Relatório de Sustentabilidade da América Latina, que detalha os projetos, as ações e os resultados da região ao longo de 2020. A iniciativa também apresenta as suas contribuições para apoiar o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas e da Agenda 2030.

A empresa japonesa, que celebra 90 anos em 2021, anunciou no ano passado a sua 3ª fundação, a Bridgestone 3.0, junto à sua nova visão de futuro: proporcionar valor social e ao cliente como uma empresa de soluções sustentáveis ​​até 2050, baseada em uma estratégia de negócios de médio e longo prazo, que posiciona a sustentabilidade no seu centro.

A Bridgestone também divulgou o seu Marco 2030, apresentando novos objetivos para atingir suas metas ambientais de médio prazo. Entre elas, a empresa está comprometida com a neutralidade de carbono de 2050 em diante e a redução das emissões totais de CO2 em 50% até 2030, em comparação aos níveis de 2011.

O recém-lançado Relatório de Sustentabilidade América Latina reúne dados sobre as operações da Bridgestone no México, Costa Rica, Colômbia, Argentina, Brasil e Chile.

“A jornada de negócios da Bridgestone sempre esteve conectada com a sustentabilidade. O fundador da companhia acreditava que uma empresa que só quer gerar lucro não pode prosperar, mas aquela que contribui para melhorar a sociedade sempre terá sucesso”, destaca Charlie Rule, Presidente da Bridgestone Americas Tire Operations Latin America­ (BATO-LA). “Trouxemos essa crença para o centro do nosso negócio, conforme avançamos para 2050 e além” complementa.

O relatório apresenta a evolução dos diferentes indicadores de desempenho ambiental das operações na América Latina, em 2020, tais como a diminuição regional de 36,53% dos resíduos enviados para aterro sanitário, graças aos diferentes projetos implementados nas fábricas – as plantas brasileiras são, hoje, aterro zero. No Brasil, a planta de Santo André substituiu os tambores de plástico e metal por IBCs (Intermediate Bulk Containers) com opção de recarga, o que reduziu 12 toneladas de tambores e recipientes de plástico, bem como 6 toneladas de resíduos perigosos. Além disso, a borracha vulcanizada proveniente das fábricas de Campinas e Mafra é reciclada e utilizada como matéria-prima para solas de sapatos e asfalto. Ainda, em Camaçari, iniciou-se a operação um biodigestor que recebe uma média de 15 toneladas de resíduos orgânicos por mês.

A região também obteve uma redução de 29,9% nas emissões de carbono de suas operações. No caso da fábrica de Santo André, o funcionamento das caldeiras agora se ajusta automaticamente à demanda, o que permitiu uma redução de 193.280 m³ do consumo de gás natural. Além disso, a fábrica de Campinas realizou melhorias no processo de extrusão, o que permitiu reduzir as emissões de CO2 em 30 toneladas por ano. Ainda em 2020, a Bridgestone alcançou uma redução no consumo de água: as unidades na América Latina apresentaram uma diminuição de 23,3%, o equivalente a uma economia de mais de 755 mil litros de água. No mesmo ano, a fábrica de Santo André aumentou a capacidade do seu sistema de osmose reversa, de modo que a cada 100 m³/h de água, seja possível gerar 92 m³/h de água permeada e 8m³/h de água residual, representando uma diminuição de 24% no consumo de água em comparação com o ano anterior. A operação possui também uma estação de tratamento de efluentes, que permite a reutilização de 100% da água tratada na linha de produção. Já a fábrica da Bridgestone do Brasil em Campinas instalou uma nova estação de tratamento de efluentes, com capacidade para tratar 28 mil litros de água por dia, para ser reutilizada no processo produtivo da fábrica. O relatório também destaca as ações de apoio à comunidade da empresa no contexto da pandemia da Covid-19, que incluiu doações de alimentos, máscaras, face shields, entre outros itens, em toda a região. Assim como iniciativas para equipar as ambulâncias com pneus Bridgestone e a doação de recapagens Bandag para veículos de transporte pesado.

A Bridgestone também detalha no seu relatório as políticas de ética e governança da companhia, bem como a sua estratégia de Diversidade, Equidade e Inclusão, que envolve a criação de Grupos de Afinidade (ERGs) para a promoção da inclusão, colaboração e oportunidades para a comunidade LGBTQ+, mulheres e seus aliados.

Para o futuro, a Bridgestone continuará a desenvolver projetos focados na economia circular, na criação e no fornecimento de produtos e soluções sustentáveis, além de uma equipe tão diversa quanto os clientes que a companhia atende.

O relatório completo, com informações de todas as unidades da América Latina, pode ser lido em https://informebridgestone.com/Bridgestone2020/pt/.

Sem Comentários

Insira um Comentário