Conheça os danos do uso de combustível adulterado

Conheça os danos do uso de combustível adulterado

A mistura incorreta impede a queima correta do combustível e ocasiona perdas de rendimento, maior consumo, desgaste acelerado de componentes e danos no sistema de injeção do veículo

Com a concorrência acirrada pelo menor valor do combustível é inevitável que muitos motoristas optem pelo preço mais em conta. Acontece que por detrás deste litro anunciado a um “preço atraente”, pode haver irregularidades no produto oferecido, tais como água, solventes, metanol e outras substâncias prejudiciais à combustão do motor – ou seja, combustível adulterado.

Uma das dicas para evitar a utilização de combustíveis assim é fugir da tentação e desconfiar de valores muito abaixo da média do mercado, que se utilizados a longo prazo, podem ser extremamente prejudiciais. Quando adulterado, ocorre a queima incorreta do combustível, gerando ineficiência no processo de combustão interna, contaminação dos componentes internos do motor e no sistema de injeção. Esta “mistura ruim” também contamina o óleo, fazendo com que o lubrificante fique menos eficaz, elevando a temperatura de trabalho do motor e aumentando o desgaste das peças.

“A detonação incorreta provoca corrosão na cabeça dos cilindros, queima das velas com maior rapidez, e deixa borras dentro do motor. É um conjunto de fatores indesejados que ocasionam degradação do sistema de injeção e da vida útil do motor”, explica Leonardo Tobias, instrutor técnico do Centro de Treinamento Técnico e Inovação da Cia DPaschoal.

Ele reforça que existe um equipamento para detecção e diagnose, onde é possível comprovar se o veículo está utilizando combustível adulterado, sem a necessidade de uma intervenção mais complexa no motor, ou seja, prevenindo assim danos e gastos desnecessários.

Esta ferramenta tem uma câmera em uma sonda flexível com capacidade para capturar as imagens do sistema de combustão, processo similar a uma endoscopia. A análise interna do motor é feita através desta ferramenta, introduzindo-se a sonda no motor frio através do alojamento das velas de ignição, onde é possível ver as condições do interior da câmara de combustão e dos pistões, detectando assim possíveis danos ocasionados no sistema.

Sem Comentários

Insira um Comentário